IPF adverte grave crise familiar na Espanha por aumento de divórcios

MADRI, 13 Jan. 11 / 04:51 pm (ACI).-
O Instituto de Política Familiar (IPF) calcula que a Espanha fechou o
ano 2010 com 128 mil rupturas familiares, a maioria dos quais seriam
divórcios.

Mariano Martínez-Aedo, porta-voz e vice-presidente do
IPF explicou esta segunda-feira 10 de janeiro que estas cifras respondem
à tendência observada nos primeiros nove meses do ano 2010, quando se
produziram 93 mil rupturas, entre divórcios, separações e nulidades, o
que significou um incremento de 3,2 por cento com respeito ao mesmo
período do ano 2009.

O estudo do IPF na Espanha se apóia em dados
do Conselho Geral do Poder Judicial espanhol (CGPJ) e indica que os
divórcios -que no ano 2002 representavam 36,5 por cento das rupturas
anuais- agora superam 90 por cento do total.

Martínez-Aedo
explicou que o aumento dos divórcios se acrescentou por medidas nefastas
como a “Lei do Divórcio Expresso”, que desde ano 2005 permite que na
Espanha um casal se divorcie por 400 euros e em menos de 24 horas.

O
porta-voz explicou que “do IPF exigimos a derrogação imediata do
divórcio expresso”, assim como “a implementação de uma política de
prevenção e mediação nos casos de conflitividade e crises matrimoniais”.

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.