Inaugura-se exposição para conhecer a Biblioteca Apostólica Vaticana

CIDADE DO
VATICANO, terça-feira, 9 de novembro de 2010 (ZENIT.org) – A história da
“Biblioteca do Papa”, a amplíssima coleção de livros, entre
manuscritos e impressos, desenhos, pergaminhos, mapas, moedas e medalhas, que
são testemunhas da história do Antigo Continente, podem ser apreciados na
mostra “Conhecer a Biblioteca Vaticana: uma história aberta ao
futuro”.

A
exposição, que foi apresentada hoje em coletiva de imprensa na Santa Sé, será
inaugurada amanhã no Braço de Carlos Magno, no lado esquerdo da colunata de
Bernini na Praça de São Pedro, e se estenderá até o final de janeiro.

O objetivo
é dar a conhecer ao público em geral a história e os tesouros da Biblioteca
Vaticana, devido a que esta costuma estar reservada a um público restrito. A
exposição faz parte de uma série de eventos que comemoram sua reabertura,
depois de ter permanecido fechada durante 3 anos por motivos de restauração,
segurança e modernização.

A mostra é
organizada pela Obra Romana de Peregrinações, dependente do Vicariato de Roma,
assim como da Região do Lácio (à qual pertence a capital italiana).

Ver e
aprender

Dom Cesar
Pasini, prefeito da Biblioteca Apostólica, destacou da mostra “os
numerosos materiais expostos em original, cópia ou reprodução (manuscritos,
papéis de arquivo, volumes impressos antigos ou mais recentes, desenhos,
moedas, medalhas) permitem uma ‘primeira degustação'” do que é a
biblioteca.

O
visitante, além de conhecer a história da Biblioteca Apostólica Vaticana,
graças ao apoio multimídia e ao serviço de guia auditivo disponível em diversos
idiomas, poderá apreciar alguns dos tesouros mais importantes que repousam na
“Biblioteca do Papa”.

ZENIT
esteve presente na visita realizada especialmente para os jornalistas, na qual
uma das guias da Obra Romana de Peregrinações informou que na mostra se
encontra o original do Papiro Bodmer, escrito nos primeiros anos do século III,
que em 2006 foi doada ao Papa Bento XVI pela fundação Sally and Frank Hanna
Family. Trata-se do manuscrito mais antigo que contém dois evangelhos (de Lucas
e João).

Também
podem ser observados manuscritos de personagens como Michelangelo, Martinho
Lutero, assim como desenhos de Botticelli sobre a Divina Comédia, textos de
Dante, Petrarca, homilias marianas do século VII, uma transcrição da Bíblia do
século X, um lecionário melquita do século IX, entre outros.

“A
mostra pretende dar a conhecer a Biblioteca Vaticana àqueles que não têm o
privilégio de frequentá-la – disse o cardeal Raffaele Farina, bibliotecário da
Santa Igreja Romana. Mas não só a eles. Pretende também fazer que seus usuários
habituais a conheçam melhor.”

A
Biblioteca Vaticana foi fundada em 1451 pelo Papa Nicolau V, quem quis reunir
os livros que usavam até esse momento na Santa Sé.

Hoje,
compreende 1.600.000 livros impressos, 80.000 manuscritos, 100.000 unidades de
arquivo, 8.400 livros incunábulos, cerca de 300.000 moedas e medalhas, 150.000
impressos, desenhos, mapas e cerca de 150.000 fotografias.

Durante os
três anos de restauração, foi colocado em cada livro um sistema de rádio
localização através do qual cada volume tem um chip com os dados do livro para,
em caso de perda, o sistema o encontre e possa voltar à sua estante.

A estrutura
física da biblioteca também foi reformada, especialmente nas partes que
apresentavam alguma deterioração.

Coincidindo
com a reabertura da biblioteca, será realizada também em Roma, de 11 a 13 de novembro, o
congresso “A Biblioteca Apostólica Vaticana como lugar de pesquisa e como
instituição ao serviço dos pesquisadores”.

(Carmen
Elena Villa)
Fonte: http://www.zenit.org/article-26492?l=portuguese

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.