Igreja Ortodoxa

Igreja que resulta do cisma ocorrido no catolicismo, em 1054, quando o Império Bizantino rejeita a supremacia de Roma, patriarcado do Ocidente. Até então, duas grandes tradições convivem no interior do cristianismo: a latina, no Império Romano do Ocidente, com sede em Roma, e a bizantina, no Império Romano do Oriente, com sede em Constantinopla (antiga Bizâncio e atual Istambul , Turquia). Divergências teológicas e políticas causam a ruptura entre as duas Igrejas, que se excomungam mutuamente, condenação só revogada em 1965 pelo papa Paulo VI e pelo patriarca Athenágoras I.

A Igreja Ortodoxa ou Igreja Cismática Grega é menos rígida nas formulações dogmáticas e na hierarquia e também valoriza a liturgia. O cristianismo ortodoxo (reta opinião, em grego) tem originalmente quatro sedes (patriarcados): Jerusalém, Alexandria, Antióquia e Constantinopla. Mais tarde são incorporados os patriarcados de Moscou, de Bucareste e da Bulgária, além das igrejas autônomas nacionais da Grécia, da Sérvia, da Geórgia, de Chipre e da América do Norte. Todas as Igrejas Ortodoxas têm diferenças políticas e religiosas. Possuem, no total, cerca de 174 milhões de fiéis em todo o mundo.

Liturgia do cristianismo ortodoxo – Os rituais são cantados sem instrumentos musicais. São proibidas imagens esculpidas de santos, exceto o crucifixo e os ícones sagrados. Os sacramentos são os mesmos da Igreja Católica e reconhecidos reciprocamente.

Os ortodoxos não admitem o purgatório nem a superioridade e a infalibilidade do papa. Também rejeitam a doutrina católica da Imaculada Conceição, porque, segundo eles, esse dogma não faz parte da narrativa bíblica e é contrário à doutrina tradicional do pecado original. A assunção da Virgem Maria, porém, é aceita, com base na afirmação formal dos livros litúrgicos.

Os graus de ordem na Igreja Ortodoxa são três: diácono, padre e bispo. Os padres e diáconos recebem títulos honoríficos (arquimandrita, ecônomo, arquidiácono), que não conferem primazia espiritual ou administrativa. Os bispos são escolhidos exclusivamente entre os monges. Os padres podem casar-se (antes da ordenação), mas não os monges.

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.