Igreja Católica não impõe a religião nem as crenças, afirma Cardeal Sarah

Vaticano, 14 Abril 2012 / 10:54 am (ACIDIGITAL) O Presidente do Pontifício Conselho Cor Unum no Vaticano, Cardeal Robert Sarah, assinalou ontem que a Igreja Católica não impõe a ninguém sua religião nem suas crenças como alguns equivocadamente afirmam.

Em entrevista com o grupo ACI na manhã da sexta-feira em Roma logo da apresentação do livro “O Santo Padre e os voluntários europeus”, o Cardeal se referiu a este trabalho de muitos católicos no mundo, especialmente ali onde são perseguidos por causa da fé como na Índia.

O Cardeal explicou que quando os voluntários realizam seu serviço -em meio das pressões dos extremistas hindus e ante as acusações de proselitismo como acontece na Índia- em realidade não procuram “converter as pessoas. Fazemos o que Jesus nos manda. Cada qual pode escolher sua fé. Nós fazemos que eles saibam que somos irmãos”.

“Com a caridade dos católicos queremos promover a dignidade do ser humano, respeitar a liberdade de todo ser humano e ajudar as pessoas a serem felizes. Por isso não impomos nenhuma religião nem crença”, acrescentou.

O Cardeal Sarah precisou logo que ao realizar esta tarefa de voluntariado, os católicos cumprem com sua missão na qual é “impossível ocultar nossa fé. Mais ainda, não devemos ocultá-lo, nem mesmo em lugares onde os bispos têm dificuldades como na Índia”.

O Presidente do Pontifício Conselho Cor Unum explicou além que o serviço dos católicos deve estar apoiado na caridade para poder “testemunhar o Evangelho e por isso devemos melhorar nossa formação para mostrar adequadamente nossa identidade de católicos”.
Sobre o alcance do serviço voluntário dos católicos, o Subsecretário do Pontifício Conselho, Dom Segundo Tejada Muñoz, assinalou ao grupo ACI que é muito difícil de ser medido por ser muito vasto e estendido por todo o planeta.

“É Muito difícil colocar números a tudo o que a Igreja faz, contandoaos voluntários e seus demais serviços. Primeiro porque o trabalho nas paróquias, nas dioceses e das pessoas que se dedicam a isto é de tal tamanho, estão tão profundamente enraizados em nossa sociedade, que não é possível dar um valor exato”, indicou.

O sacerdote disse logo que embora seja certo que com realidades como a Cáritas ou Manos Unidas (da Espanha), é possível obter um valor ou números exatos sobre seu trabalho, devemos considerar que estes são “a ponta de um iceberg e que realmente é impossível dar um número exato sobre toda a ajuda que a Igreja Católica oferece no mundo”.

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.