‘Grande presente para a América Latina’, afirma Pe. Emílio sobre o milagre que definiu a canonização de João Paulo II

joaopauloII04 de Outubro de 2013 (Zenit.org) Passados dez anos da morte de João Paulo II e após dois anos de sua beatificação, o processo de santificação de Karol Wojtyla terminou com o reconhecimento de um milagre ocorrido no mesmo dia da beatificação, 1º de maio de 2011. Logo se espalhou a notícia do milagre noticiado pelas manchetes internacionais. Floribeth Mora Díaz, da Costa Rica, depois de sofrer um acidente vascular cerebral hemorrágico, segundo os médicos, não lhe deram nenhuma esperança de recuperação, pela impossibilidade do fechamento de uma artéria localizada em uma região inacessível do seu cérebro.

Segue a entrevista com o diretor da Rádio Maria e reitor da Universidade João Paulo II na Costa Rica, Pe. Emílio Garreaud, que conheceu pessoalmente a Sra. Mora Díaz:

“Pe. Emilio, você pode nos contar um pouco do seu encontro com Floribeth Mora?

Pe. Emilio Garreaud: Eu tenho uma relação forte com a pessoa de João Paulo II. É muito importante, para nós, na Costa Rica, este milagre. Floribeth é uma pessoa que vive num povoadinho chamado Dulce Nombre de Jesús. Nós fizemos uma entrevista com ela, para a Rádio Maria, no consistório de segunda-feira passada, dia 30 de setembro. Para mim foi uma coisa maravilhosa estar com ela e vê-la feliz, ela e o marido. É muito interessante, porque ela estava doente, no hospital, e os médicos chegaram a dizer que era melhor morrer em casa. Ela foi levada para casa, para o quarto dela, e todos os dias eram terríveis. Naquela época, justamente, foi celebrada a beatificação de João Paulo II.Floribeth tinha dores de cabeça fortíssimas, mas ela fez um esforço enorme e acompanhou a beatificação pela TV junto com a família. Na cama, ela pediu muito a graça de ser curada pela intercessão do papa. À noite ela adormeceu e foi naquele momento que aconteceu o milagre. Acabaram as dores de cabeça. Na manhã seguinte, ela começou a andar e disse para o marido: “Aconteceu alguma coisa”. Ela conseguia andar, falar… era um milagre! O processo completo da cura durou oito meses. No hospital, os médicos a submeteram a uma radiografia e constataram que na cabeça dela não havia mais nenhum vestígio da doença. Cientificamente, era impossível. Este é o milagre de João Paulo II.

Como ela está hoje?

Pe. Emilio Garreaud: Ela está bem. Eu estive com ela na semana passada, numa escola onde ela deu o seu testemunho. É uma bela história, porque, depois do milagre, ela foi a uma igreja que tinha uma relíquia de João Paulo II e falou com o padre, contou o que tinha acontecido com ela. A história dela foi relatada num site da paróquia, e, três meses depois, o padre recebeu um telefonema do Vaticano. Aí começou o processo confidencial com um comitê de quatro padres, que viajaram até a Costa Rica para entender o que realmente tinha acontecido. Meses depois, foi anunciado ao mundo o milagre.

Para ela, deve ter sido uma experiência muito poderosa, pois fortalece ainda mais a relação que ela já tinha com João Paulo II.

Pe. Emilio Garreaud: Claro. Eu fico extremamente emocionado, primeiro porque trabalho na paróquia vizinha à do milagre. Segundo, porque é na Costa Rica, que é um país tão pequeno, de quatro milhões e meio de habitantes. Uma excelente ocasião para rezar a Deus por intercessão de João Paulo II por este milagre e uma ocasião igualmente importante para a evangelização da Costa Rica.

Mais uma vez a América Latina é protagonista. Depois da eleição do papa argentino e da Jornada Mundial da Juventude no Rio de Janeiro, temos o milagre de João Paulo II numa mulher da América Central.

Pe. Emilio Garreaud: A América Latina é metade da Igreja e eu acho que é um sinal muito grande de Deus para nós. Eu acho que é um momento importante de conversão para o nosso continente, o momento de dar testemunho da nossa fé, particularmente da nossa maneira de vivê-la na América Latina. Todas as classificações dizem que a Costa Rica é o país mais feliz do mundo, porque é um país de reconciliação e de paz, que não tem exército. É um país de classe média. Eu acredito que, neste momento, a Costa Rica também seja o único país do mundo que é católico pela constituição, além de ser tremendamente mariano.”

Fonte:http://www.zenit.org/pt/articles/o-milagre-de-joao-paulo-ii-e-um-grande-presente-para-a-america-latina

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.