Governador no Paquistão é assassinado por opor-se à lei de blasfêmia

ROMA, 05
Jan. 11 / 09:10 am (ACI).- O governador de Punjab (Paquistão), Salman Tasir, que
intercedia pela vida da
cristã Asia Bibi, foi assassinado com nove tiros por um dos seus guarda-costas
devido às suas críticas à lei de blasfêmia.

O crime cometido na terça-feira aconteceu quando Tasir descia do seu automóvel
perto de um mercado de Islamabad. O autor do assassinato afirmou depois de sua
detenção que atuou porque o governador era favorável à emenda da lei de
blasfêmia.

Segundo a imprensa internacional, o Ministro do Interior, Rehman Malik,
informou que se está investigando se houver alguém mais detrás deste
assassinato.

Tasir esteve no alvo das críticas dos islamistas por sua oposição à lei de
blasfêmia. Inclusive estava intercedendo pela vida da cristã Ásia Bibi,
condenada à morte sob a mencionada legislação.

Nos últimos meses esta lei -que condena a tudo o que supostamente ofende
Maomé-, foi criticada dentro e fora do Paquistão inclusive pelos próprios
muçulmanos, pois se converteu em ferramenta de abusos contra as minorias
religiosas e vinganças.

O caso mais emblemático é o da cristã Asia Bibi, mas também os muçulmanos são
afetados por esta lei. Em meados de dezembro passado o médico muçulmano Naushad
Valyani foi detido por jogar no lixo o cartão de um representante de uma
farmacêutica chamado “Mohamed” (Maomé em espanhol), o nome de maior
uso entre a população islâmica.

A Lei de Blasfêmia agrupa várias normas contidas no Código Penal inspiradas
diretamente na Xaria – lei religiosa muçulmana – para sancionar qualquer ofensa
de palavra ou obra contra Alá, Maomé ou o Corão. A ofensa pode ser denunciada
por um muçulmano sem necessidade de testemunhas ou provas adicionais e o
castigo supor o julgamento imediato e a posterior condenação à prisão ou morte
do acusado.

A lei é usada com frequência para perseguir a minoria cristã, que está
acostumada a ser explorada no campo do trabalho e discriminada no acesso à
educação e os postos de função pública.

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.