Feliz Ano Novo!

ano-novo“Ser Feliz é cultivar a alegria que vem da fé e confiança em Deus; superando todo pessimismo, mau humor, tristeza e reclamação.”

Gostamos de desejar às pessoas um “Feliz Ano Novo”; há até uma música que diz “muito dinheiro no bolso, saúde pra dar e vender”. Mas será isso possível? Será tão fácil ser feliz? Será possível trezentos e sessenta e cinco dias sem lutas, lágrimas, decepções…? É claro que não.

Na verdade, quando desejamos aos parentes, amigos e conhecidos, um “Feliz Ano Novo”, desejamos que tenham um Ano de muita fé, de muitas bênçãos de Deus, livres dos males do corpo e da alma, mesmo que as adversidades da vida continuem. Não podemos nos enganar, a vida na terra é uma vida em paróquia (exílio), ainda longe da pátria de felicidade eterna onde não existe choro e lágrimas.

Ter um Ano Novo Feliz é estar preparado para vivê-lo com paz, serenidade, com uma consciência tranquila diante do dever cumprido, do sofrimento superado com fé, da amizade dada gratuitamente e do bem praticado sem olhar a quem.

Ter um “Feliz Ano Novo” é confiar no Senhor que “tem os olhos sobre os que o amam e procuram a todo instante”, e não esquecer as palavras sagradas: “O Senhor é meu pastor, nada me faltará” (Sl 22,1).

“O Senhor é a minha luz e a minha salvação, a quem temerei”? (Sl 26,1).

Leia também: Motivações para um Ano Novo

Como minha família pode se renovar neste novo ano?

Que tal fazer um balanço de sua própria vida?

As previsões da Bíblia para este novo ano

Cuidado com as superstições

O valor do tempo

“O anjo do Senhor acampa ao redor dos que o temem, e os salva”. “São numerosas as tribulações dos justos, mas de todas as livra o Senhor“. “Entrega o teu destino ao Senhor ele cuidará de vós” (Sl 33).

Ainda mais, ter um “Feliz Ano Novo” é lembrar o conselho da grande doutora da Igreja da Espanha, Santa Teresa de Ávila: “Nada te perturbe; nada te apavore; tudo passa; apenas Deus não muda; quem tem Deus no coração nada lhe falta”.

E mais que tudo, jamais se esquecer do convite do Senhor que nos diz: “Vinde a mim vós todos que estais atribulados e eu vos aliviarei” (Mt 11,28).

Ter um Ano Feliz é não se esquecer de que a felicidade verdadeira, que não se esvai, é aquela que colhemos na ajuda ao outro, pois “fazer o bem faz bem”. Ter um Ano Feliz é não pensar que a felicidade vem do vício, da malandragem, de “passar os outros para trás”, de viver no pecado. Ser Feliz é buscar a felicidade que se esconde no bojo da virtude: amor, bondade, mansidão, compaixão, desprendimento, pureza, perdão, humildade, temperança, diligência, etc. “Eu vim não para ser servido, mas para servir”! (Mc 10,42).

Assista também: O que esperar de 2017?

Retrospectiva 2016: Conheça os 5 maiores acontecimentos da Igreja Católica neste ano

Feliz Ano Novo!

Para ser Feliz em 2017 será preciso viver com os pés na terra e coração no céu, lembrando-se de que somos filhos amados de Deus; herdeiros do céu, participantes, como dizia Paulo VI, do banquete da vida.

Ser Feliz no Ano Novo é cultivar a alegria que vem da fé e confiança em Deus; superando todo pessimismo, mau humor, tristeza e reclamação.

para_ser_felizPara ser Feliz em 2017 será preciso decidir viver uma vida de oração, sem deixar de rezar jamais, assim será possível vencer cada tribulação dos doze meses. A Eucaristia deverá ser o Pão que sustenta nossa fraqueza humana e nos cura dos males.

Pierre Auguste, um grande pintor francês, sofria de artrite, o que lhe causava dores profundas nas mãos. Um artista amigo, vendo-o pintar assim mesmo, então, lhe perguntou porque ele continuava a pintura assim mesmo. O grande pintor respondeu: “A dor passa, mas a beleza permanece.”

Precisamos estar dispostos a pagar o preço pelo bem e pela beleza que permanece. Sem sacrifício não pode haver um Ano Feliz.

A Editora Cléofas lhe deseja um Feliz Ano Novo!

Prof. Felipe Aquino

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.