Farc recorria à bruxaria para “bloquear” operações contrárias à guerrilha

De acordo com o jornal colombiano El Tiempo (30/9/2011), uma investigação revelou que os guerrilheiros marxistas da Frente 29 das Farc utilizavam a prática da bruxaria para tentar barrar as atividades das forças públicas contrárias ao movimento.

Entre os 12 guerrilheiros capturados, em uma operação da Inteligência colombiana no departamento de Cauca, estava uma mulher misteriosa com um olhar desconfiado e grandes brincos na orelha. Tratava-se de Clara Maria Fernandez, uma bruxa que costumava atender seus clientes em um cybercafé na capital de Cauca, Popayán.

Uma investigação policial havia revelado que Clara Maria tinha um estranho cliente. Via telefone, ela fornecia, à Frente 29 das Farc, seus relatórios sobre as bruxarias que realizava, a pedido dos guerrilheiros, contra o chefe de Polícia, o general Óscar Naranjo – atual vicepresidente da interpol, e o comandante de Cauca, o coronel Carlos Rodriguez. O objetivo era deter as operações anti-Farc.

 A bruxa também fazia “trabalhos” para auxiliar a concretização de negócios do tráfico de drogas.

Segundo os investigadores, há um ano e meio as Farc tinham contratado a bruxa para prever o futuro e  prevenir a guerrilha contra as operações nessa região.

“Ela lhes dizia: ‘Troquem de lugar porque vão fazer uma operação, vejo coisas obscuras, movimentos que podem vos prejudicar”, contou um oficial que participou das investigações.

Em setembro último, as Farc pediram á bruxa, de 33 anos, que fizesse um “trabalho” contra o general Naranjo para mudar o destino de uma operação que estava em andamento. Em quase todos os casos, quando ela os advertia sobre as supostas operações, não havia nenhum registro de atividade das forças de segurança contra esse grupo.

Parafraseando Bertrand Quinquet, quando a chama da Fé se apaga, a lâmpada da superstição se reanima.

***

Fonte:
http://www.eltiempo.com/justicia/ARTICULO-WEB-NEW_NOTA_INTERIOR-10475686.html

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.