Exposição de objetos e documentos originais do Concílio Vaticano II

A partir de 25 de janeiro, na basílica de São Paulo Extramuros, em Roma

ROMA, terça-feira, 24 de janeiro de 2012 (ZENIT.org) – A partir deste 25 de janeiro, estará aberta ao público uma exposição com documentos originais do concílio Vaticano II, na basílica romana de São Paulo Extramuros, onde o beato João XXIII anunciou a convocatória do evento eclesial mais importante do século XX.

No dia 11 de outubro de 2012 comemoram-se os 50 anos da abertura do concílio. A basílica de São Paulo Extramuros programou a mostra a começar em 25 de janeiro por ser o dia da celebração litúrgica da Conversão de São Paulo.

Em 25 de janeiro de 1959, após a solene celebração na basílica e enquanto visitava o mosteiro beneditino, o papa João XXIII quis anunciar aos cardeais e às personalidades presentes, e, portanto, a todo o mundo, a sua vontade de convocar um novo concílio na Igreja.

A basílica papal e a abadia se propõem a celebrar, com diversas iniciativas, os dois momentos eclesiais: o anúncio e a abertura do Vaticano II.

Neste 25 de janeiro, Bento XVI presidirá na basílica papal as segundas vésperas da festividade paulina, encerrando ao mesmo tempo a XLV Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos.

A partir de 26 de janeiro, o público poderá visitar a exposição na Pinacoteca da Basílica. Ali serão mostrados objetos e documentos ligados à figura de João XXIII e ao Concílio Ecumênico Vaticano II.

O programa de iniciativas, impulsionadas pelo cardeal Francesco Monterisi, arcipreste da basílica, e pelo pe. Edmund Power, OSB, abade de São Paulo Extramuros, prevê ainda encontros e congressos até 24 de novembro de 2013, em ocasião do encerramento do Ano da Fé convocado pelo papa para recordar precisamente esse histórico concílio.

A mostra, chamada Sanctus Paulus Extra Moenia et Concilium Oecumenicum Vaticanum II, se estende por uma área de trezentos metros quadrados.

A exposição contará com documentos como os textos manuscritos dos discursos de João XXIII para o anúncio do concílio e para a sua abertura em 11 de outubro de 1962, na basílica vaticana.

Também será exposto o passaporte diplomático que permitiu ao então arcebispo Karol Wojtyla participar do concílio, com a assinatura do substituto da Secretaria de Estado, o cardeal Angelo dell’Acqua. É um documento de muito valor, porque o governo polonês na época havia negado o passaporte ao cardeal primado Stefan Wyszynski.

Contribuíram com a exposição todas as instituições vaticanas. Serão expostas também as primeiras páginas e fotografias do periódico vaticano L’Osservatore Romano, junto com moedas, medalhas e santinhos daquele período, emprestadas pela Biblioteca Apostólica Vaticana e pelo Departamento Filatélico e de Numismática. Também ficará exposto o novo selo postal vaticano, emitido precisamente em celebração dos cinquenta anos do concílio.

A Rádio Vaticano prestará o suporte de áudio para um vídeo de quase quinze minutos. O cardeal Monterisi declara à emissora: “É impressionante voltar a escutar a voz do papa Roncalli e voltar a ver as imagens daquela época”.

Para saber mais: http://www.basilicasanpaolo.org

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.