Escolhe: a Vida ou a Morte

O caminho da santificação e da vida é “fazer a vontade de Deus”; não pode haver “outra vontade” melhor do que a de Deus. Será que existe alguém mais sábio, douto e santo do que Deus, e que nos conheça e ame mais que Ele? Por isso são “loucos”, insensatos, como disse Jesus no Sermão da Montanha (cf. Mt 7,24s), que “ouve as Suas palavras e não as põe em prática”; esses estão no caminho da morte espiritual, da infelicidade, construíram a vida sobre a areia movediça.

E o primeiro passo para “fazer a vontade de Deus” é cumprir sua Santa Lei. Com muita sabedoria e fé disse o Dr. Francis Collin, gerente do maior Projeto de biotecnologia do mundo, o Genoma Humano: “O ateísmo é a mais irracional das opções”. Todo o Salmo 118, o mais longo, proclama a beleza da lei de Deus. São 176 versículos glorificando a lei de Deus: “Felizes aqueles cuja vida é pura, e seguem a lei do Senhor” (v. 1). “Na observância de vossas ordens eu me alegro, muito mais do que em todas as riquezas” (v.14). “Vossos mandamentos continuam a ser minhas delícias. Eterna é a justiça das Vossas prescrições, dai-me a compreensão delas para que eu viva” (v. 143-144). “Escolhi o caminho da verdade, impus-me os vossos decretos”(v.30). “O único consolo em minha aflição é que vossa palavra me dá vida” (v.50). “Mais vale para mim a lei de vossa boca que montes de ouro e prata” (v.72). “É eterna, Senhor, vossa palavra, tão estável como o céu” (v.89). “Jamais esquecerei vossos preceitos, porque por eles é que me dais a vida” (v.93). “Vossos preceitos me fizeram sábio, por isso odeio toda senda iníqua” (v.104). “Vossa palavra é um facho que ilumina meus passos, uma luz em meu caminho” (v.105). “Muitas lágrimas correram de meus olhos, por não ver observada a vossa lei” (v.136). “Apesar da angústia e da tribulação que caíram sobre mim, vossos mandamentos continuam a ser minhas delícias” (v.143).

Por tudo isso é que a Carta aos hebreus diz que: “A palavra de Deus é viva, eficaz, mais penetrante do que uma espada de dois gumes, e atinge até à divisão da alma e do corpo, das juntas e medulas, e discerne os pensamentos e intenções do coração” (Hb 4,12). Nosso mundo moderno “vive como se Deus não existisse”, e sofre. A religião dá base moral a todas as outras atividades. Como disse Dostoiwiski em “Os Demônios”, “se Deus não existe, então, eu sou deus”. E faço o que eu quero, vivo segundo as “minhas” pobres leis. João Paulo II disse que: “no século XX os falsos profetas se fizeram ouvir”.

Deus sempre exigiu do povo escolhido, consagrado a Iahweh (cf. Dt 7,6; 14,2.21) a observância  das Suas Leis, para que este povo fosse sempre feliz e abençoado. Ao povo libertado da escravidão do Egito, Deus manda através de Moisés: “Observareis os mandamentos de Iahweh vosso Deus tais como vo-los prescrevo” (Dt 4,2). “Iahweh é o único Deus… Observa os seus estatutos e seus mandamentos que eu hoje te ordeno, para que tudo corra bem  a  ti  e aos  teus  filhos  depois de ti, para que prolongues teus  dias sobre a terra que Iahweh teu Deus te dará, para todo o sempre” (Dt 14,40).

Deus tem grande ciúme do seu povo, e não aceita que este deixe de cumprir suas Leis para adorar os deuses pagãos. “Eu, Iahweh teu Deus, sou um Deus ciumento…” (Dt 5,9). O Apóstolo São Tiago, lembra-nos esse ciúme de Deus por cada um de nós, ao dizer que: “Sois amados até ao ciúme pelo Espírito que habita em vós” (Tg 4,5). Deus não aceita ser o “segundo” amor da nossa vida, Ele exige ser o primeiro, porque para Ele cada um de nós é o “primeiro”. Ele demonstrou isto de maneira clara com o aniquilamento de Jesus por cada um de nós. É por isso que o Primeiro Mandamento diz: “Amar a Deus sobre todas as coisas”; isto é, “amarás a  Iahweh  teu Deus  com  todo  o teu coração, com toda a tua alma e com toda a tua força” (Dt 6,4). Esse amor a Iahweh se manifesta exatamente na obediência aos mandamentos: “Andareis em todo o caminho que Iahweh vosso Deus vos ordenou, para que vivais, sendo felizes e prolongando os vossos dias na terra que ides conquistar” (Dt 5,33).

Sem viver a lei de Deus o homem experimenta a morte que está escondida no pecado: “O salário do pecado é  morte” (Rm 6,23).

A escolha é de cada um: “Olha que hoje ponho diante de ti a vida com o bem, e a morte com o mal” (Dt 30,19). Escolhamos, portanto, a vida, a Lei de Deus. Às vezes ficamos arrumando desculpas e justificando a nossa consciência para não cumprir a Lei de Deus; mas Ele nos diz que sua Lei não está acima de nossas forças: “O mandamento que hoje te dou não está acima de tuas forças, nem fora de teu alcance. Ele não está nos céus, para que digas: quem subirá ao céu para no-lo buscar e no-lo fazer ouvir para que o observemos? Não está tampouco do outro lado do mar, para que digas: quem atravessará o mar para no-lo buscar e no-lo fazer ouvir para que o observemos? Mas essa palavra está perto de ti, na tua boca e no teu coração: e tu a podes cumprir” (Dt 30, 11-15). Não fujamos da Palavra de Deus e nem fiquemos nos enganando e, pior ainda, tentando enganar a Deus. Isto seria escolher o caminho da morte.

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.