Enfermeiras católicas denunciam discriminação quando rechaçam aborto

01:27 pm |
ROMA, 2011-02-08 (ACI/EWTN
Noticias
) .- A Presidenta do Comitê Internacional de Enfermeiras Católicas
e Assistentes Sociais Médicas (CICIAMS), Marylee Meehan, assinalou que muitos
dos membros desta organização são discriminados, também em seu país, os Estados
Unidos, quando afirmam ser pró-vida e contra o aborto.

Em entrevista concedida ao grupo ACI em Roma por ocasião de um seminário sobre
saúde, Meehan disse que “nos Estados Unidos o problema maior para as
enfermeiras católicas é a potestade de exercer a objeção de consciência”.

Meehan, cuja organização tem a sua sede na Irlanda e reúne membros de 26
países, explicou que muitas enfermeiras jovens e assistentes sanitários são
“tímidos” na hora de falar sobre o aborto. Por outro lado, as mais
experimentadas temem ser despedidas se falarem contra o aborto ou se rejeitarem
participar em um.

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.