Encíclica Lumen Fidei

Primeira-Encíclica-Lumen-Fidei-do-Papa-FranciscoO Papa Francisco publicou a sua primeira Encíclica; na verdade ela foi escrita basicamente pelo papa emérito Bento XVI, sofrendo apenas alguns acréscimos do Papa Francisco, como ele mesmo diz.

Assim, o Papa Bento XVI concluiu as três encíclicas sobre as virtudes teologais: caridade (Deus caritas est), esperança (Spes salvi) e fé (lumen fidei).

A encíclica “Luz da Fé” mostra a importância, a beleza e a necessidade da fé. Jesus disse: “quem crer e for batizado será salvo”. (Mc 16,16). Muitos pontos importantes são abordados pelos papas. Eles começam mostrando que a fé é algo tão forte e real, que arrastou milhões de pessoas no serviço e no amor a Deus. Muitos chegaram a dar a vida nos martírios de todos os tempos pela fé em Jesus Cristo. Lembram eles o que disse São Justino, mártir dos romanos no ano 165 em Roma: ninguém morreu mártir pelo deus Sol dos romanos e nem pelos deuses dos pagãos gregos. Mas, por Jesus Cristo, milhares enfrentaram a morte em todos os tempos, e também hoje.

Os papas lembram o que disse São Paulo: “o justo vive pela fé” (Rm 1,17). A fé é a força do cristão; a sua segurança, a sua esperança nasce de sua fé; ela é a luz que ilumina o caminho do homem neste mundo. O papa João Paulo II já tinha dito na sua encíclica “Redemptor Hominis”, que “o homem que não conhece Jesus Cristo permanece para si mesmo um desconhecido, um mistério insondável, um enigma indecifrável”. Só Jesus Cristo revela o homem a si mesmo. Se a fé em Cristo, sem a “lumen fidei” o homem fica no escuro nesta vida e caminha sem saber a sua identidade e o seu destino belo, em Deus.

Jesus é a Luz do mundo. Falando de Jesus, o Messias, o profeta Isaías disse: “O povo que jazia nas trevas viu uma grande luz” (Is 9,1). Disse São João que “Jesus é a luz que vindo a este mundo ilumina todo homem” (Jo 1,9). O próprio Jesus afirmou: “Eu sou a Luz do mundo, aquele que me segue não andará nas trevas…” (Jo 8,12). “Eu vim como luz ao mundo, assim, todo aquele que crê em mim não ficará nas trevas” (Jo 12,46).

Recordam ainda o que diz a Carta aos Hebreus: “Sem fé é impossível agradar a Deus” (Hb 11,6). Só faz a vontade de Deus e caminha na via da santidade quem tem fé e confia em Deus, em sua santa Palavra e na Igreja.

Ressaltam na encíclica que a fé vem a nós pela Igreja. Foi a ela que Cristo confiou o “fidei depositum”, o deposito da fé, para que ela guarde te transmita a todos os seus filhos, em todos os tempos, desde o batismo. No “Ato de Fé” nós rezamos com fervor:

“Creio que há um só Deus em Três Pessoas realmente distintas, Pai, Filho e Espírito Santo. Creio que o Filho de Deus, Jesus Cristo, se encarnou, padeceu, morreu e ressuscitou para nos salvar. Creio em tudo o mais que crê e ensina a santa mãe Igreja, porque Deus verdade infalível o revelou, nesta crença quero viver e morrer”. Santa Teresa de Ávila, contemporânea de Lutero, dizia, “eu sou filha da Igreja!”.

A fé da Igreja é a fé dos santos, dos mártires, dos doutores da Igreja, dos confessores, das virgens e dos monges e eremitas. Esta é a fé que sustenta o mundo há dois mil anos. Segundo os Papas, viver nesta fé, é viver numa vida de santidade e de abandono em Deus, certo de que Ele olha para nós sem cessar, como filhos muito amados, e cuida de cada um.

Jesus disse que “tudo é possível ao que crê” (Mc 9,23)  e que “até os cabelos de vossa cabeça estão todos contados” (Mt 10,30). E São Pedro insiste: “Lançai sobre Ele todas as vossas preocupações, porque Ele tem cuidado de vós” (1 Pe 5,16).

A fé absoluta em Cristo levava São Paulo a dizer que “tudo concorre para o bem dos que amam a Deus” (Rom 8,28) e que “tudo posso naquele que me dá forças” (Fl 4,13).  A fé torna o cristão invencível pelo mundo.

Prof. Felipe Aquino

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.