Dúvidas e insegurança no namoro

O namoro é uma fase bela da vida, na qual duas almas se encontram com o desejo de realizar o anseio profundo de um dia viver um para o outro, gerar filhos e ser feliz. É um anseio que Deus colocou no coração de cada homem e de cada mulher; no entanto, esse tempo bonito pode se transformar em uma etapa triste na vida de muitos se não souberem enfrentar com coragem e sabedoria os seus problemas. Eles naturalmente surgem, pois duas pessoas diferentes se encontram e começam uma caminhada juntos. Nem sempre essa caminhada é fácil.

Neste texto, você encontrará um pequeno capítulo retirado do livro: “Problemas no namoro”, no qual o Prof. Felipe Aquino apresenta um vasto conjunto de perguntas reais e respostas sobre os mais variados problemas que surgem no namoro, como: traição, diferenças de credos, ciúmes, diferença de idade, entre outros.

1. O que pode acontecer em um namoro?

O namoro não é um enigma, não deve ser um mistério insondável; deve ser um encontro de duas almas amigas. Pode acontecer de os namorados se conhecerem, se satisfazerem em sua complementação mútua, se encontrarem em seus valores fundamentais e naquilo que desejam construir nesta vida; então, o namoro continuará e poderá um dia ser um noivado e um casamento. Pode acontecer dos dois não se entenderem, não se satisfazerem, devem simplesmente ter a coragem de terminar o namoro e continuarem bons amigos.

2. Namorei três anos e ele terminou comigo. Será que ainda podemos voltar?

Um relacionamento sempre pode voltar a acontecer, mas isso depende do amadurecimento de cada um e das razões que levaram ao rompimento. O que foi de fundamental que os separou? Se foi algo que pode ser mudado pelo diálogo e pela compreensão, a chance de voltar é maior, mas se o motivo do término do namoro envolveu algo mais profundo, em termos de valores, algo estrutural no perfil da pessoa, pode ser mais difícil a reconciliação, e talvez nem fosse bom.

3. Namoro há 4 anos; sinto há alguns meses que estou perdendo o amor pela minha namorada. Sinto que ela me ama muito mas eu não estou conseguindo corresponder. Estou confuso, tenho medo de aceitar isto; o que eu faço?

Depois de quatro anos de namoro não se pode esperar a mesma empolgação do começo; o fato de conhecer melhor a pessoa, conviver mais com ela, leva a gente a ter ciência dos seus defeitos e qualidades, e isto pode mudar o relacionamento. Para responder a sua pergunta é importante que você saiba muito bem o que é o amor; amar não é querer alguém construído; mas construir alguém querido. Insisto que o mais importante é fazer um discernimento sobre o que é fundamental para você. Esta moça tem as qualidades mínimas que você gostaria de ver em sua esposa e futura mãe dos seus filhos? Esta é uma pergunta importante a ser feita; responda a ela com tranquilidade e tome a sua decisão de prosseguir ou não o namoro. Reze, reflita e tente entender o que está acontecendo. Fique tranquilo, pois o namoro é para isso mesmo. Converse com ela e veja se ela está sentindo o mesmo.

4. Sou uma pessoa muito tímida, e todas as vezes que me apaixonei nunca fui correspondida. Agora gosto de uma pessoa, que também é tímida. O que faço?

A timidez á algo real e que depende do perfil psicológico da pessoa e também da educação recebida; mas é preciso superá-la com determinação, preparo e até com alguma ajuda psicológica e oração; pois senão você poderá ficar prejudicada em outras atividades além do namoro. Nada conseguimos nesta vida sem luta e determinação; enfrente a timidez e não deixe de se relacionar com alguém que lhe atrai. Se for necessário coloque uma pessoa como intermediária para começar a amizade e o namoro, mas não perca a oportunidade que lhe surge se está diante de alguém que lhe parece bom. E se esta pessoa também é tímida, você precisa agir para superar a timidez e poder assim ajudar a outra pessoa que lhe atrai. Peça a Deus que lhe dê forças e graça para vencer a timidez.

Leia também: Com quem Namorar?

8 perguntas que todo(a) namorado(a) deveria saber responder

Estou namorando. Como saber se está na hora de me casar?

Namoro, tempo de conhecer e escolher

Um namoro diferente leva à santidade

Qual é o objetivo do meu namoro?

5. Sempre que me aproximo de um rapaz que está estabelecido financeiramente, me sinto inferior a ele. Como vencer essa inferioridade que sinto com relação aos rapazes?

Penso que é uma vantagem, e não desvantagem, você se relacionar com alguém que tenha a vida financeira equilibrada e resolvida; não há motivo para você se sentir inferiorizada por isso. Talvez seja um pouco de orgulho de sua parte. Aceita a sua realidade e a do rapaz e, a partir daí, construa a sua vida. Se preocupe em conhecer se o rapaz é adequado a você. A condição financeira não pode ser o mais importante neste momento. E nunca se esqueça que somos diferentes uns dos outros. O seu valor é intrínseco, isto é, está naquilo que você é e não naquilo que você tem. Se de um lado o seu namorado oferece uma boa situação financeira, você poderá oferecer a ele outras qualidades e valores fundamentais. Não se compra a honra, a honestidade, a simpatia, o bom humor, o desprendimento, a bondade, etc com dinheiro.

6. Namoro há 3 anos, e meu namorado diz que não pensa em se casar e ter família. Diz ser infeliz com ele mesmo. Tenho 30 anos, sou católica fervorosa e ele também… vamos à missa etc. O que fazer com um relacionamento assim?

Ora, se este rapaz não pensa em construir uma família o namoro está fora de lugar, sem meta; ele perde o sentido. Parece-me que ele tem uma visão muito errada do casamento ou uma experiência amarga de família. Penso que você precisa resolver esta questão com ele; se de fato ele não quer se casar e construir uma família com você, é melhor terminar esse namoro e começar outro. Talvez ele possa mudar, mas não espere muito tempo por essa mudança. Se ele é católico, precisa analisar este procedimento dele com mais profundidade; infelizmente hoje há muitos rapazes acomodados e que se tornam egoístas, querendo evitar uma família com esposa e filhos; isso não está de acordo com a lei de Deus; medite isso com ele.

7. Tenho quatro anos e meio de namoro e tenho muita dúvida no meu namoro, o que eu faço?

Não é tão raro que haja dúvidas em um namoro; quando se pensa em um dia se casar, é normal que se examine a pessoa do outro com cuidado para saber se um dia você pode dar o grande passo de decidir pelo casamento. O namoro é para isso mesmo; é o tempo de diálogo profundo, de conhecer o outro, os seus valores, os seus problemas, as suas angústias… e então você poder decidir se continua ou não o relacionamento. Veja o que é fundamental para você; quais são os valores de que você não abre mão hoje e amanhã?

A pessoa com quem você namora atende a essas exigências que para você são fundamentais; ou há nela dificuldades invencíveis? Não fuja dessa análise corajosa. Às vezes é melhor chorar alguns dias por um namoro terminado do que ver lá na frente um casamento frustrado. Não se pode partir para um casamento em pontos essenciais. É claro que não existe namorado(a) perfeito(a), e não se pode iludir com isso, mas também não se pode tentar enganar-se a si mesmo.

8. Gosto de uma menina que gosta de outro rapaz e já está quase namorando-o; estava lendo o seu livro “Namoro” e percebi que meu sentimento ainda não é amor; será que devo esperar que ela um dia possa vir a ser minha Maria ou é melhor esquecer?

Se esta menina quer namorar o outro, respeite isso e entregue nas mãos de Nossa Senhora este seu desejo. Se for a sua Maria, virá, pode confiar. É preciso esperar o tempo do namoro dela com o outro rapaz para você ficar sabendo o desfecho disso. Sei que pode ser uma espera difícil, mas não tem outro caminho justo; o namoro tem de ser algo espontâneo e decidido por convicção.

9. O que devo fazer, descobri que meu namorado não gosta mais de mim como antes.

Antes de tudo é preciso conversar seriamente sobre isso que você está sentindo; o seu sentimento é real ou será um tanto imaginário? Deixe o rapaz lhe falar tudo o que desejar. O dialogo no namoro é para isso; só assim você saberá se deve continuar o namoro. Mas atenção, o que é amor para você; apenas carinho, atenção? Às vezes somos amados mas não do jeito que a gente gostaria; amor não é apenas um sentimento; é muito mais, é fazer o outro crescer e ser feliz. Examine tudo isso.

10. Considero meu namorado uma pessoa um tanto imatura. O que devo fazer para ajudá-lo?

É preciso entender que “amar não é querer alguém construído, mas construir alguém querido”. A vida a dois, desde o namoro, só tem sentido se cada um ajuda o outro a crescer, senão o relacionamento se esvazia, perde o sentido, acaba. Se você ama este rapaz, invista nele seu tempo, seu carinho, sua atenção, etc. Corrija-o com delicadeza quando de suas atitudes imaturas; mas faça isso com muito jeito, no momento certo, com palavras corretas e que não o ofendam.

Não o corrija nunca na frente dos outros para que ele não fique envergonhado e humilhado. E reze por ele, a fim de que ele aceite suas palavras sem mágoa. Se isso for bem feito e der resultado, e você achar que ele começou a crescer em maturidade, então prossiga o namoro; caso contrário repense se ele é uma pessoa com quem você deve um dia construir uma família.

11. Como posso saber se o meu namoro é abençoado por Deus?

Para saber se o seu namoro é abençoado por Deus, verifique como ele vai indo; se vocês se amam, se constroem mutuamente, se respeitam, lutam para viver a lei de Deus, então, o seu namoro é abençoado por Deus. Se, por outro lado, há muitas brigas, falta de diálogo, falta de sinceridade, falsidade, mentira, etc. , não é abençoado. Mas é preciso dizer que esta bênção de Deus depende de cada um de vocês dois; Deus abençoa tudo aquilo que é correto, justo, santo, etc.

Não existe um namoro “magicamente” abençoado, onde tudo vai dar certo previamente; não, a gente é que torna o namoro abençoado na medida em que o vivemos corretamente e lutando para vencer os erros, tropeços, etc. Mas peça sempre a bênção de Deus para o seu namoro. Acho que você conhece aquele Salmo que diz assim: “Se não é Deus quem edifica a casa, em vão trabalham os seus construtores; se não é Deus quem guarda a cidade, em vão vigiam as sentinelas” (Sl. 126,1).

Isto quer dizer que nada vai bem nesta vida sem a graça de Deus, também o namoro; rezem sempre para que Deus abençoe o seu namoro, o conserve puro, saudável, respeitoso. Peça à Virgem Maria que os guarde sob o seu manto sagrado e protetor; peça aos santos de sua devoção que intercedam por vocês afim de que vivam um namoro proveitoso.

12. Sou amiga de um rapaz, mas agora surgiu uma atração entre nós, mas ele disse que tem medo de estragar nossa amizade. O que eu faço?

Penso que este rapaz está com um medo infundado de estragar a amizade com você. De certa forma isso mostra que ele gosta muito de você e não quer perder a sua amizade; você representa algo importante para ele. Então, o que fazer? Vá conquistando-o aos poucos; mostre-lhe que mesmo que um namoro não dê certo, isso não significa que a amizade entre os dois tenha de terminar se o namoro acabar. Não tenha pressa e não faça pressão, conquiste-o pelo que você é, por seus valores, suas atitudes, etc.

13. Eu queria que algum padre falasse com Deus e me dissesse se meu namoro vai ou não dar certo.

Isso vai ser muito difícil de acontecer; é preciso entender que Deus não nos dá uma bola de cristal onde possamos ver as realidades ocultas ou adivinhar o futuro; Ele quer que a gente use as nossas capacidades: inteligência, capacidade de analisar os fatos com coerência e realidade, sensibilidade para compreender e ajudar, etc.

Você só poderá saber se o seu namoro vai dar certo, namorando. Não tem outro jeito. Isso vai depender do seu comportamento e do dele. O namoro é para isso mesmo, para saber se o relacionamento hoje e amanhã vai ser bom ou não. Não espere uma revelação mágica para isso e nem mesmo uma palavra profética de alguém. Somente namorando, conversando, convivendo com o outro, é que você poderá conhecê-lo e saber se o namoro deve ou não continuar; não fuja da realidade; não se esconda atrás da palavra de alguém que lhe fez uma previsão mágica do futuro. Use a sua cabeça, razão e coração.

14. Estou gostando de uma pessoa. Ela acabou recentemente um relacionamento anterior; queria saber qual a sua opinião: devo falar com ela ou esperar que a poeira abaixe…

Sugiro que você se aproxime dessa pessoa como amigo apenas, afim de sentir como está o seu coração. Se ela mostrar que acabou mesmo o relacionamento anterior, que não tem volta, você poderá intensificar a amizade até poder propor a ela o namoro com você. Mas não force a barra; pode ser que ela queira um tempo de reflexão, como você disse para “baixar a poeira”. Se ela desejar namorar você, certamente na hora certa ela se manifestará. Se você perceber que ela está em paz, pode propor-lhe o namoro, e cuide bem dela.

Ouça também: O que é viver um namoro cristão?

15. Eu e meu namorado sabemos que Igreja é contra métodos contraceptivos, mas tenho medo de casar com meu namorado nessa situação por medo de ter vários filhos, gostaria de saber como é o método que a igreja aprova? Quais as chances de engravidar?

O casal cristão deve saber que um dos objetivos fundamentais do casamento é ter os filhos e educá-los para Deus. Deus nos dá essa honra de sermos pais e mães, isto é, cooperadores dele na sua maior obra, o ser humano. O casal não deve evitar filhos logo após o casamento, pois isso faz parte dele. No altar o casal prometeu a Deus “receber com amor os filhos que Ele lhes confiar”. O Catecismo da Igreja ensina que os filhos são o dom mais excelente do matrimônio e que são bênçãos de Deus. Infelizmente deixamos que essa verdade morresse em muitos corações.

Então, tenha todos os filhos que puder criar; quando precisar evitar uma gravidez, por problemas sérios, use o método natural Billings. Aconselho que você leia atentamente um dos muitos livros sobre o método que você pode encontrar nas livrarias católicas. Viva cada fase de sua vida na hora certa. Agora, viva o namoro e, veja se vão se casar mesmo. No noivado, procurem pela pastoral familiar que tenha orientação neste assunto.

16. Namorei um rapaz dez anos e terminei. Sempre soube que não casaria com ele porque não o amava. Hoje tenho medo de estar pagando por isso.

De fato você não deveria ter namorado tanto tempo se já sentia que não ia se casar com o rapaz; mas você fez isso por insegurança e não por maldade. O seu caso serve de exemplo a muitos casais de namorados e noivos que ficam empurrando o namoro ou noivado com a barriga, como se diz, prejudicando a própria vida e a do outro; é melhor tomar uma decisão quando se percebe que o relacionamento não vai bem; ou se equacionam os problemas ou se termina o namoro; nada há de errado nisso. Mas não tenha medo de estar pagando por isso, Deus é bom Pai, nunca se vinga de ninguém, eu penso que a sua insegurança é que continua atrapalhando você e precisa ser curada.

Retirado do livro: “Problemas no Namoro”. Prof. Felipe Aquino. Ed. Cléofas.

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.