Dom William Lori afirma que a Igreja deve continuar sendo um obstáculo à secularização total da sociedade

A agência de notícias Gaudium Press divulgou ontem no dia 27 de junho de 2012, que a quinzena pela liberdade nos Estados Unidos teve início oficialmente no dia 21 de junho com a celebração da Santa Missa, presidida por Dom William Lori, na Basílica do Santuário Nacional da Assunção da Santíssima Virgem, em Baltimore, no qual fez um apelo em favor da defesa da liberdade religiosa dos indivíduos e das instituições.

Aproveitando a ocasião da festa litúrgica de São Tomas Morus e São João Fisher, dois mártires da liberdade religiosa, o Bispo explicou sobre o sentido que há em começar a “Quinzena pela Liberdade” na véspera da memória desses dois Santos, que ofereceram um claro ensinamento para a atualidade: “São Tomas Morus é exemplo para o crente individual, o cidadão que busca unir o Culto Divino dos domingos ao trabalho das segundas-feiras, levar os valores de nossa Fé na vida familiar, ao mercado e à praça pública”.

Em sua homilia, Dom Lori, disse que este santo leigo, advogado e político,  “representa ao empregador o empregado consciente que busca evitar ou facilitar o mal no curso de seu trabalho diário. Que trata de viver e trabalhar de acordo às exigências da justiça”. O exemplo de São Tomas Morus é também inspirador para “aqueles que entendem quão prejudicial é para o bem comum o separar a Fé da vida, o Evangelho da cultura”.

O prelado, em suas palavras, também usou o exemplo de São João Fisher, o santo que também comemora a Igreja nessa data: “São João Fisher simboliza nossa luta por manter a liberdade religiosa nas instituições religiosas e ministérios, como nossas escolas e casas de caridade, explicou Dom Lori. O Santo Bispo de Rochester deu sua vida para não curvar-se diante do intromissão indevida do Estado na vida da Igreja.

 Depois de esclarecer que a Igreja norte-americana não encontra hoje a ameaça do uso da violência, como enfrentou São João Fisher, o Arcebispo comparou a vida do santo com o que se passa na atualidade.

Leia a notícia na íntegra: A Igreja deve continuar sendo um obstáculo à secularização total da sociedade, afirma Arcebispo de Baltimore

Fonte: Gaudium Press

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.