Dois séculos marcando o catolicismo no Rio de Janeiro

Rio de Janeiro (Terça-feira, 20-09-2011- Gaudium Press) Um dos principais monumentos católicos do Rio de Janeiro completa no próximo dia 23, dois séculos de evangelização e símbolo da presença de Cristo na capital fluminense.

Idealizada por Antonio Martins da Palma – como promessa à sua esposa, Leonor Gonçalves – a Igreja da Candelária se tornou referência aos fiéis do Rio de Janeiro e de outras localidades, nacionais e internacionais, que visitam a cidade. Para marcar a data, o Arcebispo Metropolitano, Dom Orani João Tempesta presidiu a Santa Missa às 18h30.

A história da construção da Igreja começa quando o casal Antonio Martins e Leonor Gonçalves consegue se salvar de um naufrágio. Eles eram devotos de Nossa Senhora da Candelária e por terem escapado com vida do acidente, ergueram uma ermida em homenagem à Santa. No ano de 1775, por conta de seu precário estado de conservação, a capela foi demolida dando lugar a um novo templo, onde hoje está instalada a Igreja da Candelária.

No entanto, somente em 1811 é inaugurada parte do altar até os púlpitos. O restante da obra somente foi concluída ao longo do século XIX. A sagração da Igreja aconteceu em 1898 pelas mãos do então bispo de São Sebastião do Rio de Janeiro, Dom Joaquim Arcoverde. Até hoje a Igreja se destaca por sua arquitetura e pelas suas obras de arte, como os ornatos de madeira, as portas de bronze e seus vitrais.

A Igreja da Candelária foi erguida por inúmeros construtores, muitos deles nomes expressivos da arquitetura, como Job Justino de Alcântara, Gustavo Vaneldete, Detencor da Silva, Ferro Cardoso, Evaristo da Veiga e Antonio de Paula Freitas, além das pinturas de João Zeferino da Costa.

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.