Denuncia Pe. Paulo Ricardo

SÃO PAULO, 13 Out. 10 (ACI) .- Em um recente vídeo que leva por título “Em defesa da Vida” o Pe. Paulo Ricardo de Azevedo Júnior da Arquidiocese de Cuiabá (MT), onde o padre atualmente é Vigário Judicial, denuncia que o Partido dos Trabalhadores não quer apenas legalizar a possibilidade do aborto, mas quer transformar o aborto em um direito, algo nunca antes visto na historia do Brasil. No vídeo o sacerdote apresenta fatos que desmentem as palavras do PT, cujo presidente na Paraíba, Rodrigo Soares, afirmou estar “profundamente comprometido com a vida”. Segundo o Pe. Paulo Ricardo, o compromisso do PT com a legalização do aborto no país é histórico e real, e nada tem de boataria.

“A maioria cristã deste país impôs ao debate político uma questão que os políticos não queriam tratar: a questão do aborto”. “Nós rompemos o Silêncio”, explicou o sacerdote.
“Precisamos dizer aos políticos deste país que nós estamos muito preocupados por este tema do aborto”, afirmou o padre, rebatendo a afirmação de um dos membros da executiva nacional do PT na quel afirmou que “o tema do aborto voltará para o submundo da política de onde nunca deveria ter saído”. “Eles querem calar o tema”, mas nós “precisamos manter acesso este debate”, advertiu o Pe. Paulo Ricardo.

“Nós cristãos, fizemos que este tema viesse à tona através da internet. (…) Mas a internet não basta.
O Vigário mato-grossense pede aos expectadores que saiam às ruas para divulgar “um instrumento precioso deste nosso projeto de debater amplamente a questão do aborto”, referindo-se ao Apelo dos bispos do Regional Sul 1 da CNBB. Esta carta dos bispos de São Paulo “contém uma série de informações preciosas não somente para os fiéis católicos para as dioceses deles, mas para todos os brasileiros. Porque aquilo que os bispos estão revelando são fatos. (…) Não interessa se você é católico ou não, para votar no próximo 31 de outubro você precisa conhecer estes fatos”, declarou o sacerdote brasileiro.

Animando os internautas a assistirem também o vídeo Mãe do Brasil, no qual se vê “uma fotografia dos documentos em que o PT assumiu não somente nos seus documentos internos, mas também nos documentos do governo brasileiro, o compromisso sério de legalizar o aborto no nosso país”.
“São fatos, não são boatarias. (…) Contra fatos não há argumentos”, denunciou o sacerdote.

Falando da tentativa de algumas pessoas querem desacreditar o Apelo dos bispos do Regional Sul 1 da CNBB “dizendo que afinal, são bispos de São Paulo e que não podem falar a todo o povo brasileiro”, o sacerdote afirma que a grande autoridade que estes prelados exercem no apelo é “a autoridade dos fatos”. “É a autoridade dos fatos que está falando ao cidadão brasileiro”, destacou.
 “O Brasileiro não pode votar às escuras, ele precisa ser iluminado pelos fatos”, disse também o clérigo.

O Pe. Paulo também adverte que neste segundo turno, “nós não temos que escolher aqui entre dois candidatos, nós temos que escolher entre dois partidos”.
“Trata-se de compreender que este partido, chamado Partido dos Trabalhadores, o PT, tem um compromisso histórico e real, ele tem compromissos assumidos para legalizar o aborto. Não se trata de fazer propaganda, mas compreender quem é esse partido e que tipo de acordos quase secretos que realizaram”. “São acordos públicos que o público não tem conhecimento”, assinalou.

Citando os exemplos da Itália e da Alemanha, o padre explica que a que a Igreja quer é “esclarecer à população quem é o PT”.   Assim o padre avisa que intenção dos bispos de São Paulo com este apelo é “esclarecer os fatos”, e entre eles, o vídeo denuncia o fato de que o Partido dos Trabalhadores quer “transformar o aborto em um direito”.

“O Partido dos Trabalhadores e várias das pessoas que estão nele, querem transformar o aborto em um direito. Isso é uma coisa nunca que nunca vimos na historia do nosso país”, destacou o padre Azevedo.
“Transformar algo que hoje é crime não somente em algo lícito, mas em um verdadeiro direito é o que o PT chama em seus documentos internos como direitos reprodutivos”, denunciou o Pe. Paulo Ricardo.
“Você concorda com isso? Você quer que o aborto deixe de ser crime e se converta em um direito? Acho que esta não é a opinião da maior parte dos brasileiros”, respondeu.

Falando sobre manifestações contra um sacerdote que se manifestou recentemente contra o PT onde alguns diziam que “esse padre deveria ir para a cadeia”. O sacerdote disse que acusações deste tipo são feitas por pessoas que agridem e “depois se fazem de vítima”.
“O PT está falando nas suas campanhas e o eleitor também tem direito de falar. E se o eleitor não quer que este partido presida o nosso país, ora, que pegue seu banquinho e saia de mansinho”, disse o sacerdote afirmando que ao “perseguir-nos, na verdade o efeito está sendo o contrário”.

 Referindo-se a alguns que dizem que as denúncias como as do Pe. Azevedo são uma ingerência da Igreja no Estado e que a Igreja “não deve se intrometer”, o padre disse que isto lhe resulta “muito engraçado”, pois quando a Igreja, durante anos, ajudou o PT para que ele chegasse ao governo, Ela era uma Igreja da qual todos se orgulhavam”, mas agora que a “Igreja critica este partido, então é uma ingerência no estado laico”. “Eu não entendo este tipo de argumentação”, comentou o sacerdote.

Para se aprofundar na estratégia internacional de legalização do aborto nos países da América Latina, o Pe. Paulo Ricardo mencionou o documento “Contextualização da defesa da vida no Brasil”, citado no Apelo dos bispos de São Paulo, que pode ser baixado neste link.

“Nós estamos na Festa de Nossa Senhora Aparecida, Imperatriz do Brasil, nós estamos no mês do Rosário. Nós sabemos que a grande arma que nós podemos usar é o Santo Terço, colocando nas mãos da Virgem Santíssima todo este evento histórico onde os cristãos devem fazer o possível para que sua voz seja mais uma vez calada”.

“Que Deus abençoe e ilumine a nossa decisão e que a Virgem nos cubra com seu manto protetor”, é o pedido final do Pe. Paulo Ricardo. O Vídeo, através de fortes imagens que mostram a prática anti-vida do aborto conclui com o alerta de que “Nossa nação, valores, princípios e famílias correm perigo(…). Absurdo é tornar assassinato em direito”.

O Vídeo do Pe. Paulo Ricardo de Azevedo pode ser visto no site:
http://padrepauloricardo.org/blog/em-defesa-da-vida/

O Vídeo Mãe do Brasil pode ser visto no seguinte link:
http://www.youtube.com/watch?v=4cJZZzWysN4

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.