Defender e promover matrimônio autêntico, a família e a vida desde a concepção, exorta Bento XVI

VATICANO,
03 Dez. 10 (ACI) .- Ao receber esta
manhã as credenciais do novo Embaixador da Costa Rica perante a Santa Sé,
Fernando Felipe Sánchez Campos, o Papa Bento XVI exortou a defender e promover
o matrimônio autêntico conformado por um homem e uma mulher, a família que
nasce deste e toda vida humana desde a concepção até a morte natural.

Em seu discurso o Santo Padre elevou suas orações por esta nação
centro-americana e recordou seus estreitos laços com o Sucessor de Pedro. O
Papa também se referiu ao Ano Jubilar pelos 375 anos da imagem de Nossa Senhora
dos Anjos, Padroeira do país.

O Papa se referiu em seguida ao patrimônio espiritual da Costa Rica, que faz
possível lutar pelo bem comum e a justiça social, tarefa na qual “ninguém
pode sentir-se à margem”. Isto, precisou Bento XVI, deve ser feito
“sem menosprezar os valores fundamentais que constituem a inviolável
dignidade da pessoa, começando pela firme defesa da vida humana”.

Bento XVI recordou então que foi precisamente na Costa Rica “onde se
assinou o Pacto de San José, no qual se reconhece expressamente o valor da vida
humana desde sua concepção. Assim, é desejável que a Costa Rica não viole os
direitos do nasciturus com leis que legitimem a fecundação in vitro e o
aborto”.

Depois de referir-se ao desejo de gerar um novo acordo entre a Santa Sé e a
Costa Rica que concretize “as matérias de interesse comum, fixando
pormenorizadamente os direitos e obrigações das partes signatárias”, o
Papa elevou suas orações pelos afetados pelas chuvas neste país nos últimos
dias.

Logo depois de enumerar uma série de tarefas importantes da Costa Rica a favor
dos mais pobres e necessitados para assegurar lhes uma vida digna, em caminho
para a verdadeira paz através também do estado de direito, o Santo Padre
explicou que “muito contribuirá a dilatar este horizonte o fortalecimento
na sociedade de um pilar tão substancial e irrenunciável como a estabilidade e
união da família, instituição que está sofrendo, possivelmente como nenhuma
outra, o ataque das amplas e rápidas transformações da sociedade e da
cultura”. 

Diante destes ataques à família, disse o Papa, esta célula básica da sociedade
“não pode perder sua identidade genuína, pois está chamada a ser viveiro
de virtudes humanas e cristãs, onde os filhos aprendam de seus pais de forma
natural a respeitar-se e compreender-se, a amadurecer como pessoas, crentes e
cidadãos exemplares”.

“Por conseguinte, nada de quanto favoreça, tutele e apóie a família
fundada no matrimônio entre um homem e uma mulher será em vão. Neste sentido, a
Igreja não se cansará de animar especialmente os jovens, para que descubram a
beleza e grandeza que entranha servir fiel e generosamente o amor matrimonial e
a transmissão da vida”, precisou.

Finalmente, o Papa também fez um especial chamado à paz, e ao bom entendimento
entre as nações. Neste contexto ressaltou a necessidade de contribuir à defesa
da natureza em consonância do desenvolvimento humano integral para obter
“essa aliança entre ser humano e o meio ambiente que deve ser reflexo do
amor criador de Deus, do qual procedemos e para o qual caminhamos”.

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.