Cristãos e muçulmanos devem promover respeito mútuo e amizade, diz o Papa em mensagem pelo final do Ramadã islâmico

0101pppapafrancisco010713BO site ACI informou nesta sexta-feira (02/07/13) que o Papa Francisco, em sua mensagem final do Ramadã islâmico, disse que os cristãos e muçulmanos devem ser autênticos promotores do respeito mútuo e da amizade, especialmente através da educação.

Confira na íntegra a mensagem do Papa Francisco aos muçulmanos:

“Aos muçulmanos no mundo inteiro,

É para mim um grande prazer dirigir-lhes a minha saudação por ocasião da celebração do ‘Id al-Fitr’, que encerra o mês do Ramadã, dedicado principalmente ao jejum, à oração e à esmola.

Tornou-se tradição que, nesta ocasião, o Pontifício Conselho para o Diálogo Inter-religioso vos envie uma mensagem com cumprimentos, acompanhada de um tema proposto para a reflexão comum. Neste ano, primeiro do meu pontificado, decidi assinar eu mesmo esta tradicional mensagem e enviá-la a vocês, queridos amigos, como expressão de estima e amizade por todos os muçulmanos, especialmente aqueles que são chefes religiosos.

Como todos sabem, quando os Cardeais me elegeram como Bispo de Roma e Pastor Universal da Igreja católica, escolhi o nome de ‘Francisco’, um santo muito famoso, que amou profundamente a Deus e todo ser humano, ao ponto de ser chamado ‘irmão universal’. Ele amou, ajudou e serviu os necessitados, os doentes e os pobres; também se preocupou muito pela criação.

Sou consciente de que, neste período, as dimensões familiares e sociais são particularmente importantes para os muçulmanos e vale a pena notar que há certos paralelos em cada uma dessas áreas com a fé e a prática cristã.

Neste ano, o tema sobre o qual gostaria de refletir com vocês e com todos aqueles que lerão esta mensagem, e que diz respeito seja aos muçulmanos seja aos cristãos, é a promoção do mútuo respeito através da educação.

O tema deste ano pretende destacar a importância da educação no modo pelo qual nos compreendemos uns aos outros, na base do mútuo respeito. ‘Respeito’ significa uma atitude de gentileza para com as pessoas pelas quais alimentamos consideração e estima. ‘Mútuo’ significa que este não é um processo em sentido único, mas algo que se compartilha por ambas as partes.

Aquilo que somos chamados a respeitar em cada pessoa é, antes de tudo, a sua vida, a sua integridade física, a sua dignidade e os direitos decorrentes, a sua reputação, a sua propriedade, a sua identidade étnica e cultural, as suas ideias e as suas decisões políticas.

Somos, por isso, chamados a pensar, falar e escrever sobre o outro de modo respeitoso, não somente na sua presença, mas sempre e em qualquer lugar, evitando críticas injustas ou difamação. Para atingir este objetivo, têm um papel a desenvolver as famílias, as escolas, o ensino religioso e todo tipo de meio de comunicação social.

Passando agora para o mútuo respeito nas relações inter-religiosas, especialmente entre cristãos e muçulmanos, somos chamados a respeitar a religião do outro, os seus ensinamentos, símbolos e valores. Um respeito especial é devido aos chefes religiosos e aos lugares de culto. Quanta dor causam os ataques uns aos outros!

Claramente, no manifestar respeito pela religião dos outros ou no estender a eles bons votos em ocasião de uma celebração religiosa, buscamos simplesmente compartilhar a alegria, sem fazer referência ao conteúdo das suas convicções religiosas.

Quanto à educação da juventude muçulmana e cristã, devemos formar os nossos jovens para pensar e falar de modo respeitoso das outras religiões e dos seus seguidores, evitando colocar no ridículo ou denegrir as suas convicções e práticas.

Todos sabemos que o mútuo respeito é fundamental em toda relação humana, especialmente entre pessoas que professam uma crença religiosa. É assim que pode crescer uma amizade sincera e duradoura

Ao receber o Corpo Diplomático acreditado junto à Santa Sé, em 22 de março de 2013, eu disse: ‘Não se pode viver laços verdadeiros com Deus ignorando os outros. Por isto, é importante intensificar o diálogo entre as várias religiões, penso antes de tudo naquelas com o Islã, e apreciei muito a presença, durante a Missa de início do meu ministério, de tantas autoridades civis e religiosas do mundo islâmico’. Com estas palavras, quis confirmar uma vez mais a grande importância do diálogo e da cooperação entre os crentes, em particular entre cristãos e muçulmanos, e a necessidade de fortalecê-la.

Com estes sentimentos, renovo a minha esperança de que todos os cristãos e muçulmanos possam ser verdadeiros promotores de mútuo respeito e amizade, em particular através da educação.

Ofereço-vos, finalmente, os meus melhores votos e orações a fim de que as vossas vidas possam glorificar o Altíssimo e causar alegria àqueles que estão ao vosso redor.

Boa festa a todos vocês!

Do Vaticano, 10 de julho de 2013

FRANCISCUS”.

Fonte: http://www.acidigital.com/noticia.php?id=25817

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.