Creio na Comunhão dos Santos

O início do mês de novembro é marcado pelas comemorações da festa de todos os santos e do Dia de Finados.

No dia de finados (2 de novembro), enquanto recordamos os familiares e amigos falecidos, nos defrontamos com o mistério  da morte. Como pessoas de fé, tomamos consciência que “a realidade de nossa existência humana não foi feita para terminar na terra, enterrada em alguma cova, mas para se transformar em luz e em amor, vivendo eternamente em Deus”. Por isso a celebração do Dia de Finados é um convite a renovarmos a nossa fé “na ressurreição dos mortos e na vida eterna”. Um convite a confiarmos que “a morte é passagem para ocupar aquele lugar que Jesus mesmo nos preparou na Casa do Pai”.

A comemoração de Todos os Santos no primeiro domingo de novembro nos remete ao Credo Apostólico, onde rezamos: “Creio no Espírito Santo, na Santa Igreja Católica, na Comunhão dos Santos”.

Falar da comunhão dos santos significa falar dos santos que estão na terra e dos santos que estão no céu. E se eles são santos é porque participam da santidade que existe em Deus, o único verdadeiramente Santo.

Como cristãos sabemos que somos “santos e pecadores”. Não totalmente santos mas também não totalmente pecadores. Quanto mais refletirmos em nossas vidas “expressões da santidade que só existe em Deus”, mais santos e menos pecadores nos tornamos.

Para a Bíblia, santidade é sinônimo de justiça. Por causa disso podemos traduzir a expressão: “bem-aventurados aqueles que são perseguidos por causa da justiça”, por “bem-aventurados aqueles que são perseguidos por causa da santidade”. Sabemos que, no mundo de hoje, muitos cristãos são perseguidos por causa da sua opção de vida. Há aqueles que são perseguidos fisicamente e há aqueles outros que são perseguidos psicologicamente.

Em nosso meio, a perseguição física acontece muito pouco. Já a perseguição psicológica cresce constantemente. Quem vive sua fé sofre ataques da grande mídia que ridiculariza o modo de viver dos cristãos; dos políticos que insistem em aprovar leis que contradizem a fé cristã; dos grandes grupos econômicos que pretendem crescer à custa dos pobres; de intelectuais que debocham da simplicidade da fé do povo.

Que as comemorações do Dia de Finados e da Festa de todos os Santos nos ajudem a aprofundar o sentido da nossa vida e a melhor assimilarmos aquilo que professamos na nossa fé: “Creio no Espírito Santo, na Santa Igreja Católica, na comunhão dos santos, na ressurreição da carne e na vida eterna. Amém”.

***
por Dom Canísio Klaus

Bispo de Santa Cruz do Sul – RS

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.