Conselho Pontifício para a Família: Patriarcado e Matriarcado

Vitorio Mathieu

Catedrático de história da filosofia e professor das Universidades de Trieste e Turim. Membro do Comitê Internacional de Bioética Italiano. Foi presidente do Conselho Executivo da UNESCO e o Comitê 08 do Conselho Nacional Italiano de Pesquisas. Membro de numerosas delegações italianas junto à UNESCO como perito e delegado. Foi representante italiano na Comissão Consultiva do Conselho Europeu contra o racismo e a xenofobia. Mais de quatrocentas publicações.

[Resumo]

Nas
vocações das gerações, as sociedades humanas deram ênfase ora à estirpe
paterna, ora à estirpe materna. Às vezes, os homens se definem
referindo-se à própria mãe, às vezes, ao pai. Se o matriarcado ainda é
observado em determinadas sociedades, é claro que o mundo atual
privilegia a referência ao pai. As análises sobre o patriarcado
frequentemente alimentaram a denúncia da prepotência masculina, do
“machismo”, e a correspondente opressão da mulher.
Os movimentos
feministas não deixaram de acentuar essa denúncia até a exasperação. É
necessário subtrair esses dois termos das manipulações ideológicas de
que frequentem ente são objeto. Não se deve perder de vista que
igualdade não implica identidade. Que o homem e a mulher sejam iguais em
dignidade não implica, de modo algum, que sejam idênticos entre si.
A
igual dignidade do homem e da mulher exige, ao contrário, o respeito à
especificidade de cada um dos dois. Querendo reagir contra os abusos
reais de um patriarcado reduzido ao machismo, grandíssimo número de
mulheres deixou-se alienar da vantagem comparativa, que era seu
privilégio desde o começo dos tempos: a de fazer prevalecer as relações
de amor sobre os relacionamentos de força, principalmente a de serem as
primeiras a acolher a vida.

(Direitos
sexuais e reprodutivos; Discriminação da mulher e CEDAW; Gênero
(“gender”); Ideologia de gênero: perigos e alcance; Igualdade de
direitos entre homens e mulheres; Maternidade e feminismo; Novas
definições de gênero).

__________________________
Leia
o texto integral, entre outros, em Lexicon: termos ambíguos e
discutidos sobre família, vida e questões éticas,  Pontifício Conselho
para a Família, Edições CNBB.

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.