Conselho Pontifício para a Família: Manipulação verbal

Ignacio Barreiro

Doutor em leis e ciências sociais (Universidade de la República, Uruguai). Diretor do centro romano de Human Life International e  membro do Comitê diretivo do Instituto de Família Católica e Direitos Humanos. Foi membro da missão permanente do Uruguai junto às Nações Unidas. Autro de livro e de vários artigos.

[Resumo]

Toda a história da filosofia está impregnada de reflexão sobre a linguagem. O uso da linguagem por parte dos sofistas já chamara a atenção de Platão. Que relação existe entre o homem e a realidade e qual é o papel da linguagem nesta relação? O deslocamento iluminista dos valores “tradicionais” para os valores “novos”, com o mito do progresso, o relativismo filosófico e o subjetivismo radical, oferece uma justificação ideológica à manipulação da linguagem, com o propósito de manipular e subverter a “realidade” da cultura acolhida e a verdade objetiva. Em grande medida a ideologia contemporânea permanece caracterizada pelo recurso ao uso manipulador da linguagem. Usam-se palavras para indicar coisas estranhas ao seu significado natural. Praticam-se “transferências semânticas”, faz-se recurso a “antifrases”. Constróem-se assim discursos perversos sobre a vida, a família, o desenvolvimento, sempre com a finalidade de dominar a opinião pública. Trata-se de privar os indivíduos de sua capacidade de julgamento e de livre decisão. É uma anulação dos espíritos antes de reprogramá-los. Este charlatanismo linguístico ocupa completamente os discursos antivida e antifamília. Insinuou-se também nas assembléias internacionais e influencia aqueles que decidem e propõem programas de ação.

(Escolha livre [“free choice”]; Manipulação da linguagem; Princípio e argumento do mal menor; Qual bioética?)

__________________________
Leia o texto integral, entre outros, em Lexicon: termos ambíguos e discutidos sobre família, vida e questões éticas,  Pontifício Conselho para a Família, Edições CNBB.

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.