Conselho Pontifício para a Família: Fertilidade e Continência

Rita Joseph

Escritora e conferencista sobre temáticas familiares. Representante da Associação australiana das famílias em Conferências Internacionais organizadas pelas Nações Unidas. Numerosas publicações. 
                 
[Resumo]

Existem dois incoerentes motivos publicitários que são vendidos a mais de trinta anos. Por um lado, a fecundidade (“fertilidade”) deveria ser contida e controlada: caso contrário, daria lugar a gestações não desejadas, com a consequente deterioração do desenvolvimento, pobreza de recursos naturais e privação da mulher do papel que lhe espera na sociedade. Por outro a continência, ou melhor; a capacidade do ser humano de controlar a própria sexualidade, seria considerada impossível. Eis as consequências destas duas premissas. Por um lado, a fecundidade deveria ser controlada com todos os meios: preparados químicos, instrumentos mecânicos, operações cirúrgicas. De outro lado, o controle da fecundidade resolveria a questão da continência, considerada impossível, e deixaria aberto o caminho para as práticas sexuais mais variadas. Por trás desses motivos publicitários encontra-se uma interpretação puramente zoológica da sexualidade humana e da antropologia. Tal interpretação ignora a capacidade humana de administrar com critério e liberdade, a própria sexualidade. Aos programas educativos inspirados em uma ideia degradante do homem é necessário opor uma antropologia que denuncie a “patologização” da fecundidade e que mostre que a continência, corretamente concebida, não é absolutamente inacessível ao comum dos mortais.

(Direitos sexuais e reprodutivos; Maternidade e feminismo; Mentalidade contraceptiva; Paternidade responsável; Saúde reprodutiva)

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.