Conselho Pontifício para a Família: Educação Sexual

Aquilino Polaino-Lorente

Catedrático de psicopatologia na Universidade Complutense de Madri. Doutor em medicina, laureado em psicologia e filosofia. Estudos nas universidades de Madri, Colônia, Heidelbert, Munique, Georgetown (EUA). Autor de mais de cinqüenta livros e monografias e mais de trezentos artigos em publicações nacionais e internacionais.

[Resumo]
 
Fala-se muito hoje de “educação sexual”, mas sobretudo em referência aos programas de informação em matéria de sexualidade humana oferecidos geralmente às crianças e aos adolescentes na educação escolar. Estes programas teriam o propósito de fornecer uma informação biológica suficiente para que se possam evitar os pesados condicionamentos das doenças sexualmente transmissíveis, do HIV/AIDS e da gravidez não desejada. Uma educação sexual deste tipo é necessariamente incompleta, pois quase sempre não contempla o aspecto relacional, afetivo e espiritual do amor humano. Apresenta também o risco, segundo os programas e a filosofia dos professores, de ser excessivamente explícita e de constituir uma simples introdução à prática da contracepção e do “sexo seguro”. Enfim, os programas de educação sexual propostos nas escolas nem sempre consideram a imaturidade dos alunos aos quais são destinados e podem por isso gerar neles uma nefasta inquietude. Mas, como expõe o Dr. Polaino-Lorente, existe um outro aspecto da educação sexual sobre o qual não se insiste muito e que possui uma importância capital: a educação sexual na família.
O Pontifício Conselho para a Família dedicou a este importantíssimo tema o documento “Verdade e significado da sexualidade humana. Orientações para a educação em família ” (8 de dezembro de 1995). Os primeiros responsáveis pela educação sexual dos filhos são os pais. São eles que podem melhor ajudá-los a adquirir as virtudes de autodisciplina e de significado do outro, essencial ao exercício humano da sexualidade. São eles que podem melhor iniciar o jovem ao “amor belo”, que, em primeiro lugar; antes de exprimir-se no corpo, provém do coração e da mente.

(Direitos sexuais e reprodutivos; Família, natureza e pessoa; Homossexualidade e homofobia; Identidade e diferença sexual; Personalização; Pessoa e procriação integral; Sexo seguro).

 

 

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.