Como proteger-nos do Mal?

book282974640O Papa Paulo VI fez uma alocução, no dia 15 de novembro de 1972 (“Livrai-nos do Mal”), falando sobre o demônio, a sua realidade, perigo e maldade. O Papa afirmou: “O mal já não é apenas uma deficiência, mas uma eficiência, um ser vivo, espiritual, pervertido e perversor. Trata-se de uma realidade terrível, misteriosa e medonha.”

Quando fala do demônio, o Catecismo diz: “A Escritura atesta a influência nefasta daquele que Jesus chama de “o homicida desde o princípio” (Jo 8,44) e que até chegou a tentar desviar Jesus da missão recebida do Pai. “Para isto é que o Filho de Deus se manifestou: para destruir as obras do Diabo” (1 Jo 3,9). (n.394)

Sem meias-palavras, Papa Paulo VI reafirma a existência do demônio e da sua perversidade. Ele é o mal, o maligno, e enfatiza: “Sai do âmbito dos ensinamentos bíblicos e eclesiásticos (da Igreja) quem se recusa a reconhecer a existência desta realidade.”

O próprio Jesus foi tentado três vezes pelo demônio no deserto, e o venceu com o jejum, a oração e a força da Palavra de Deus. (cf. Mt 4,3-10). Jesus se referiu a ele como Seu adversário e o chamou de “príncipe deste mundo” (cf. Jo 12,31; 14,30; 16,11). São Paulo chamou-o “deus deste mundo” (cf. II Cor 4,4) e preveniu-nos contra as lutas ocultas que devemos travar contra sua pluralidade: “Revesti-vos da armadura de Deus, para que possais resistir às ciladas do demônio”. Ele recomenda ter “a cintura cingida com o cinto da verdade, o corpo vestido com a couraça da justiça, os pés calçados para anunciar o Evangelho da paz. Sobretudo abraçai o escudo da fé, com que possais apagar todos os dados inflamados do Maligno. Tomai, enfim, o capacete da salvação e a espada do Espírito, isto é a Palavra de Deus” (Ef 6,11-12).

Leia também: Como defender-se do demônio

O uso dos sacramentais na luta contra o mal

Como explicar o mal às crianças?

Deus é culpado do mal que há no mundo?

Essas são as armas poderosas para vencer o Mal. A maior arma do maligno é mascarar sua ação e fingir que não existe. São Paulo afirmou: “O próprio satanás se transfigura em anjo de luz. Por conseguinte, não é de estranhar que os seus servidores se transfigurem em servidores de justiça” (2 Cor 11,14-15). Quem tem Deus como Senhor, o ama e foge do pecado, não precisa temer o Mal. São João garante: “Sabemos que aquele que é gerado de Deus se acautela, e o Maligno não o toca” (1 Jo 5,18).

O principal remédio contra Deus é culpado do mal que há no mundo?a ação diabólica é dado pelo próprio Cristo aos discípulos: “Vigiai e orai para que não entreis em tentação. O espírito está pronto, mas a carne é fraca” (Mt 26,41). É pelo pecado que o demônio introduziu o sofrimento e a morte no mundo. “O salário do pecado é a morte” (Rm 6,3). Abandonar o pecado e cultivar a graça de Deus. “A graça é a defesa decisiva”, diz o Papa Paulo VI. Cultivar as virtudes, principalmente a caridade. “Sede sóbrios e vigiai. Vosso adversário, o demônio, anda ao redor de vós como o leão que ruge, buscando a quem devorar. Resisti-lhe fortes na fé” (1 Pd 5,8-9).

oracoes_todos_os_tempos_igrejaNa Eucaristia está o grande remédio contra Satanás. E nossa mãe Maria Santíssima foi aquela que massacrou a cabeça da serpente maligna. É ela que protege cada um de nós, seus filhos a ela consagrados. Refugiemo-nos debaixo de sua proteção materna, consagrando-se a ela e rezando o Terço, o Ofício da Imaculada, a sua Ladainha e outras práticas. Também aos Anjos e Santos precisamos recorrer para nos defender das insídias do Mal. O Anjo da Guarda nos protege, quando nos colocamos debaixo de sua custódia.

O nosso Catecismo ensina algo muito importante sobre o Mal:

“O poder de Satanás não é infinito. Ele não passa de uma criatura, poderosa pelo fato de ser puro espírito, mas sempre criatura: não é capaz de impedir a edificação do Reino de Deus. Embora Satanás atue no mundo por ódio contra Deus e seu Reino em Jesus Cristo, e embora a sua ação cause graves danos – de natureza espiritual e, indiretamente, até de natureza física – para cada homem e para a sociedade, esta ação é permitida pela Divina Providência, que com vigor e doçura dirige a história do homem e do mundo. A permissão divina da atividade diabólica é um grande mistério, mas “nós sabemos que Deus coopera em tudo para o bem daqueles que o amam” (Rm 8,28). (n.395)

Prof. Felipe Aquino

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.