Como conquistar seu filho, segundo Dom Bosco

familysolConheça 10 conselhos de Dom Bosco para ajudá-lo a conquistar seu filho

Para se educar bem um filho é preciso conquistá-lo. Quando se conquista o coração de alguém podemos levar a pessoa a receber e acolher nossos ensinamentos e exemplos. Um rapaz enamorado faz com alegria tudo que sua amada deseja. Um filho é a mesma coisa; para educá-lo com os valores que queremos que ele viva, é preciso conquistá-lo, com dedicação, dia após dia, gastando tempo com ele, deixando de lado muitos dos nossos afazeres e prazeres para, simplesmente, entregar nossa inteira atenção a ele. Não se conquista um filho sem gastar tempo e dedicação a ele. E se não conquista-lo, como o levaremos mais para perto de Deus? A grande missão dos pais e educadores é, mais do que educar os filhos para o mundo, educa-los para Deus.

Nosso querido Dom Bosco, que dedicou praticamente toda a sua vida para cuidar de crianças, adolescentes e jovens, entre tantos ensinamentos, nos deixou algumas dicas práticas de como podemos conquistar nossos filhos:

1. Valorize o seu filho

Para conquistar um filho é preciso valorizá-lo; saber elogiar seus pequenos sucessos; mostrar-lhe os seus talentos e incentivá-lo a desenvolvê-los para o seu bem e para o bem dos outros. Seu filho deve se sentir precioso, único. Muitas vezes, os pais sabem disso, mas os filhos não. É importante dizer a ele. Ajude-o a entender seu valor para si mesmo, para a sua família, para a sociedade e para Deus. A Beata Madre Teresa de Calcutá costumava dizer que enquanto perdemos tempo julgando os defeitos, não temos tempo para amar.

Leia também: Tenha sempre tempo para os seus filhos

Filhos responsáveis: 5 dicas para formá-los nesta virtude

Como passar os valores cristãos para meus filhos?

A importante missão de educar para a vida

Como dialogar com meu filho adolescente?

Como evangelizar os meus filhos?

Como educar os filhos?

2. Acredite no seu filho

Acreditar no filho é nunca desanimar por causa de seus problemas, seja na escola, em casa ou em outros assuntos. Cada criança tem seus problemas, seus medos, suas dificuldades e limitações. E cada criança é diferente da outra. Nossos filhos não são iguais. Muitos pais se desesperam ao comparar um filho ao outro. Acredite que com amor e carinho, com paciência e sabendo dar tempo ao tempo, tudo pode mudar. Na educação de meus cinco filhos eu vi isso; aquele filho que mais trabalho me deu na escola, foi o que mais se destacou nos estudos depois de adulto. Acreditar no filho é ter paciência com ele, como se tem com uma plantinha que precisa se cuidada com carinho e proteção para poder crescer. Cuide dessa plantinha a cada dia, o melhor que puder, e entregue o futuro a Deus. Se você não acreditar no seu filho, quem poderá acreditar?

3. Ame e respeite o seu filho

Não há como conquistar o filho e educá-lo bem sem amá-lo e respeitá-lo profundamente. Amar alguém significa dar-se; esquecer-se de si mesmo; dizer não a si para dizer sim ao outro. Exige renuncia, compreensão, paciência, tolerância, bondade, humildade, respeito. Nunca humilhar o filho, nunca zombar de seus erros, nunca desconfiar de suas palavras, nunca menosprezá-lo. Respeitar significa ainda nunca corrigi-lo na frente dos outros, dos irmãos, para que ele não fique humilhado e zangado conosco. Bem nos lembra São Paulo em sua carta aos colossenses: “Pais, deixai de irritar vossos filhos para que não se tornem desanimados”.Col 3,21.

4. Elogie seu filho sempre que puder

Todo mundo gosta de ser elogiado, ninguém gosta de ser criticado. Os pais precisam elogiar os filhos nos seus acertos e sucessos, bons comportamentos, bons gestos, etc., pois isso estimula o filho a querer repetir o que fez de bom. Mas não podemos exagerar para não despertar orgulho e vaidade inconvenientes. Por outro lado, não se pode deixar de corrigir quando necessário, sempre a sós, sem que ninguém veja, fazendo a crítica construtiva e sempre mostrando a razão da correção, com carinho e sinceridade.

Ouça também: Conquiste o adolescente

5. Compreenda seu filho

Todos nós temos nossos erros, e precisamos que as pessoas nos perdoem e nos ajudem a mudar. De nada vale uma repreensão severa sem o um estímulo para mudar. Dom Bosco dizia para atrair as abelhas vale mais uma colher de mel do que um barril de vinagre. A crítica ácida e humilhante nunca vai ajudar um filho a crescer e superar-se. Também é importante que cultive o diálogo com seu filho e saiba escutá-lo. Muitas crianças e jovens se queixam de não conversarem profundamente com seus pais por eles não saberem ouvir, ou simplesmente, não se importarem com o que acontece no seu dia-a-dia. Muitas vezes, você só conseguirá compreender o seu filho se conseguir penetrar na sua vida. Nem tudo os filhos falam. Também é preciso compreender seus silêncios.

6. Alegre-se com o seu filho

A alegria um grande tônico de vida; é bom ter uma pessoa que sabe sorrir ao nosso lado. Os pais devem ser alegres com os filhos, precisam saber contar histórias saudáveis engraçadas, e se alegrar com os pequenos feitos de seus filhos, desde um pequeno desenho mal rabiscado em um papel, até um sucesso na escola, nos esportes, etc. Mas os pais não podem mimar seus filhos. A Palavra de Deus diz que “aquele que estraga seus filhos com mimos terá que lhes curar as feridas” (Eclo 30,7).

7. Aproxime-se de seu filho

Viva com o seu filho. Viva no meio dele. Conheça seus amigos. Procure saber onde ele vai, com quem está. Convide-o a trazer seus amigos para a sua casa. Participe amigavelmente de sua vida. Não afaste seu filho de você, mandando-o ir para sempre para a casa dos outros. Misture-se com seus amigos em suas diversões. Para ser amigo de seu filho você precisa também ser amigos dos amigos de seus filhos, e participar de suas atividades.

Assista também: Como explicar os valores da vida para os filhos?

8. Seja coerente com o seu filho

Não podemos tratar os filhos com desatenção ou com mentiras. E não podemos deixar de leva-los a sério pelo fato de serem crianças ainda. Nos limites de suas idades e de suas compreensões dos fatos da vida, os pais precisam considerar com cuidado e atenção suas observações, ideias, intenções, e nas conversas que possam parecer sem importância.

Por outro lado, não se pode exigir que o filho faça algo que os pais não fazem. Para educar os filhos é mais importante o exemplo do que as palavras. O filho perde a confiança nos pais quando eles dizem uma coisa e fazem outra.

9. Prevenir é melhor do que castigar o seu filho

familia_santuario_da_vida

Os educadores dizem que é preciso educar a criança para não ter que punir mais tarde os adultos. A criança precisa ser educada enquanto é criança. O livro do Eclesiástico diz: “Aquele que dá ensinamentos a seu filho será louvado por causa dele” (Eclo 30,2), e ainda: “A criança entregue a si mesma torna-se temerária” (v.8). É preciso saber corrigir os filhos com sabedoria, pois aquele que ama o seu filho o corrige com frequência para que se alegre com ele mais tarde.

10. Reze com seu filho

A educação integral da criança envolve a educação do corpo, da mente e do espírito. Não há como educar bem o filho, na totalidade da realidade humana, sem a fé e a religião; pois sem isso o filho deixa de ter uma formação transcendente, que supera os limites dessa vida. Fomos criados por Deus e para viver com Ele aqui e na eternidade; por isso, Ele como o “escultor” de nosso ser, sabe o que é melhor para sermos felizes. Deixar de seguir as leis de Deus seria fazer como alguém que usa uma máquina sem observar o catálogo do seu criador.

Prof. Felipe Aquino

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.