Com que disposições devemos comungar?

São necessárias disposições interiores (as mais importantes) e exteriores, sinais do respeito devido a este Sacramento.

Disposições interiores:

como_preparar_comungarEstar em estado de graça, isto é, com a consciência de não se ter nenhum pecado mortal na alma. Se alguém sabe que está em pecado mortal deve, antes de aproximar-se da Sagrada Comunhão, receber a absolvição no Sacramento de Reconciliação. É importante e oportuno confessar-se, de quando em quando (em média, pelo menos uma vez por mês, e na pior das hipóteses ao menos uma vez por ano), mesmo quando se tem apenas pecados veniais, para eliminar o véu de névoa de pó, de claro-escuro que o pecado venial traz consigo, atenuando desse modo a esplêndida beleza e a maravilhosa riqueza da nossa relação filial com Deus.

Leia também: O Pão da Vida Eterna

A disposição para comungar dignamente – EB

Somos santificados pela Eucaristia

Disposições exteriores:

Espírito de recolhimento e de oração, para ajudar a participação interior durante a Santa Missa, especialmente em certos momentos (tempos de silêncio, oração pessoal depois da Comunhão);

a_eucaristia_pao_de_vidaModo digno e comunitário ao aclamar ou pronunciar em coro as partes comuns da Santa Missa;

Assista também: Pode-se comungar duas vezes no mesmo dia? Como saber se estou devidamente preparado para comungar?

Atitude do corpo (gesto e vestuário dignos e decorosos, tom de voz adequado, todo o nosso comportamento) como sinal de respeito e de fé para com Cristo que se recebe na Santa Comunhão;

Observância do jejum prévio de ao menos uma hora.

Retirado do livro: “A Eucaristia, Pão de Vida Eterna”. Raffaello Martinelli. Ed. Cléofas.

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.