Ciclone Sandy não consegue destruir Imagem de Nossa Senhora

Nova York (Quarta-feira, 31-10-2012, Gaudium Press) A passagem da supertempestade Sandy que chegou aos Estados Unidos na noite de segunda-feira, 29, com ventos de 130km/h, provocou um verdadeiro caos por onde passou.

Segundo o governo federal dos EUA, mais de 8,2 milhões de casas residenciais e lojas de comércio, em 18 estados, ficaram sem eletricidade na Costa Leste do país. O nível do mar chegou a 4 metros em Manhattan, inundando o distrito financeiro e os túneis do metrô, as atividades foram interrompidas na região sul da cidade.

O ciclone provocou mais de 20 incêndios de grandes proporções. Na zona de Breezy Point, do bairro de Queens, pelo menos 50 casas foram destruídas pelas chamas. Até agora, segundo as agências internacionais de notícias, cerca de 30 pessoas morreram em consequência do “Sandy”.

“É uma tempestade única”, declarou o prefeito de Nova York, Michael Bloomberg. “Sabíamos que ela seria muito perigosa e ela esteve de acordo com nossas expectativas”.

Tudo, ou quase tudo foi registrado pelas atentas câmeras de orgãos de imprensa ou de particulares. Sem meios para comunicar-se, os donos de telefones celulares tiveram que deixar de lado o uso principal de seus aparelhos e transformá-los em testemunhas dos fatos.

Imagens dos efeitos da tempestade não faltaram: situações inéditas de impotência diante das calamidades, o furor das inundações e as destruições que os ventos trouxeram.

Diante do quadro desenhado, um fato chamou a atenção não só dos bombeiros e habitantes da região, mas de todo o mundo depois que ele foi divulgado: Uma imagem de Nossa Senhora das Graças de tamanho natural foi o que restou intacta numa região onde todas as casas foram destruídas depois de a tormenta passar por Nova York e Nova Jersey, nos Estados Unidos, ela permaneceu incólume em meio à destruição.

Coincidência? Sinal da Providência? Na terra dos cientistas não vai faltar gente querendo explicar o fato. Pouco importa se explicam ou não. A realidade concreta é que a Imagem de Nossa Senhora permaneceu de pé e tudo em volta dela foi atingido.

As lições do furacão, ciclone, ou qualquer outra qualificação que deem ao “Sandy”, serão muitas e certamente bem aproveitadas. Haverá lições para serem tiradas do fato de uma bela e frágil imagem permanecer de pé, intacta, enquanto tudo em sua volta foi destruído? (EPC/JS)

Fonte:
http://www.gaudiumpress.org/content/41624-Ciclone-Sandy-nao-consegue-destruir-Imagem-de-Nossa-Senhora

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.