• Livro da Morte 29/10

    Livro da Morte 29/10 Livro da Morte 29/10

    Outubro 28/10

    Outubro 28/10 Outubro 28/10

    Loja 28/10

    Loja 28/10 Loja 28/10

    Sínodo 28/10

    Sínodo 28/10 Sínodo 28/10

    Lançamentos 28/10

    Lançamentos 28/10 Lançamentos 28/10
  • Catequese do Papa: “Somos pedras vivas ou somos, por assim dizer, pedras cansadas, entediadas, indiferentes?”

    Categoria: Notícias



    pppapa260613CSegundo o site ACI (26/06/13), na catequese desta quarta-feira o Papa Francisco se empenhou a refletir sobre a Igreja e o Espírito Santo, questionando assim a todos: “somos pedras vivas ou somos, por assim dizer, pedras cansadas, entediadas, indiferentes?”

    Logo, continuou indagando: “como vivemos o nosso ser Igreja? Somos pedras vivas ou somos, por assim dizer, pedras cansadas, entediadas, indiferentes? Vocês viram como é ruim ver um cristão cansado, entediado, indiferente? Um cristão assim não vai bem, o cristão deve ser vivo, alegre por ser cristão; deve viver esta beleza de fazer parte do povo de Deus que é a Igreja”.

    E assim, questionou ainda: “nós nos abrimos à ação do Espírito Santo para ser parte ativa nas nossas comunidades ou nos fechamos em nós mesmos dizendo: “tenho tantas coisas a fazer, não é tarefa minha?”.

    Retomando a reflexão sobre a Igreja como o templo, o Papa disse que esta palavra “nos faz pensar em um edifício, em uma construção. De modo particular, a mente de muitos vai à história do Povo de Israel narrada no Antigo Testamento. Em Jerusalém, o grande Templo de Salomão era o lugar de encontro com Deus na oração; dentro do Templo havia a Arca da Aliança, sinal da presença de Deus em meio ao povo; e na Arca havia as Tábuas da Lei, o maná e a vara de Arão”.

    “Um lembrete de que Deus estava sempre dentro da história de seu povo, o acompanhava no caminho, guiava seus passos. O templo recorda essa história: também nós quando vamos ao templo devemos recordar esta história, cada um de nós a nossa história, como Jesus me encontrou, como Jesus caminhou comigo, como Jesus me ama e me abençoa.”.

    “A imagem do antigo templo realiza-se agora, pelo poder do Espírito Santo, na Igreja como ‘casa de Deus’, lugar de sua presença”, explicou o Pontífice, sublinhando que se o templo de Salomão estava construído pelas mãos dos homens para ‘dar uma casa’ a Deus e ser um sinal visível de sua presença entre o povo, com a Encarnação “é Deus mesmo o que constrói ‘sua casa’ para vir e morar entre nós”.

    “O Espírito Santo com seus dons desenha a variedade que é a riqueza na Igreja… A Igreja não é um conjunto de coisas e de interesses, mas é o Templo do Espírito Santo, o Templo no qual Deus trabalha, o Templo do Espírito Santo, o Templo no qual Deus trabalha, o Templo no qual cada um de nós com o dom do Batismo é pedra viva”.

    O Santo Padre assegurou que “ninguém é inútil na Igreja e se alguém às vezes diz ao outro: ‘Vá pra casa, você é inútil’, isto não é verdade, porque ninguém é inútil na Igreja, todos somos necessários para construir este Templo! Ninguém é secundário. Ninguém é o mais importante na Igreja, todos somos iguais aos olhos de Deus. Alguém de vocês poderia dizer: ‘Ouça, Senhor Papa, o senhor não é igual a nós’. Sim, sou como cada um de vocês, todos somos iguais, somos irmãos! Ninguém é anônimo: todos formamos e construímos a Igreja. Isto nos convida também a refletir sobre o fato de que se falta o tijolo da nossa vida cristã, falta algo à beleza da Igreja”.

    Ao final de suas palavras o Papa Francisco pediu a Deus a “sua graça, a sua força, a fim de que possamos ser profundamente unidos a Cristo, que é a pedra angular, a pilastra, a pedra de sustentação da nossa vida e de toda a vida da Igreja. Rezemos para que, animados pelo seu Espírito, sejamos sempre pedras vivas da sua Igreja”.

    Fonte: http://www.acidigital.com/noticia.php?id=25616


    Prof. Felipe Aquino

    assessoria@cleofas.com.br

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.