Catedrático norte-americano é despedido por ensinar a verdade sobre atos homossexuais em curso de introdução ao catolicismo

CHAMPAIGN,
14 Jul. 10 (ACI) .- Uma nova amostra de
intolerância se registrou na Universidade de Illinois (Estados Unidos) que dias
atrás despediu o catedrático Dr. Kenneth Howell por ensinar a doutrina católica
sobre a homossexualidade que precisa que os atos homossexuais (e não a tendência
em si) violam a lei natural. na classe de introdução ao catolicismo.

Depois de uma queixa de um estudante que não assiste a sua classe, mas que foi
informado por um amigo o qual não indicou seu nome e que o acusou de difundir
uma “mensagem de ódio”, as autoridades da Universidade indicaram ao
Dr. Kenneth Howell que já não poderia ensinar como integrante do departamento
de religião da mencionada casa de estudos.

Em resposta à demissão, o catedrático assinalou em uma carta que ele ensina o
chamado curso desde ano 2001 e que parte do currículo exige a exposição sobre a
lei moral natural e a teoria da mesma. “Em muitos destes semestres, o tema
que escolhi para ditar estes tópicos foi o dos atos homossexuais”,
precisa.

Em sua missiva Howell recorda a posição da Igreja Católica sobre a
homossexualidade: “a orientação homossexual não é moralmente equivocada
assim como nenhuma inclinação na pessoa suporta necessariamente uma culpa
moral. Entretanto, apoiados na lei moral natural, a Igreja considera que os
atos homossexuais são contrários à natureza humana e portanto são moralmente
errados”.

Os fatos

No dia 4 de maio o professor enviou aos seus alunos um correio eletrônico no
qual contrastava o utilitarismo com a lei moral natural usando como exemplo o caso
dos atos homossexuais. Em sua recente carta ele comenta sobre o correio:
“busquei mostrar-lhes que sob o utilitarismo os atos homossexuais não são
considerados como imorais enquanto que à luz da lei moral natural sim são
considerados desta forma. Isto acontece porque a lei moral natural, à diferença
do utilitarismo, julga a moralidade sobre a base dos atos em si”.

Em 13 de maio o chefe do departamento de religião da Universidade de Illinois,
Robert McKim, recebeu outro correio enviado por um estudante que não assiste a
classe de introdução ao catolicismo, mas que foi avisado por outro aluno que
não quis revelar seu nome e que acusava Howell de difundir uma “mensagem
de ódio”.

Ao final do semestre McKim informou a Howell que já não podia ensinar como parte
do departamento de religião da universidade. Frente à exposição de seus
argumentos, a decisão não mudou, o que levou o St. John’s Catholic Newman
Center, ao qual pertencia e que em convênio com a universidade colaborava com a
classe de estudos católicos, a despedi-lo porque já não tinham outro lugar para
recolocá-lo.

Atualmente Howell é assessorado pelo Alliance Defense Fund (ADF) e estuda uma
possível ação legal se ele não for restituído ao seu posto.

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.