Catedral Notre Dame de Paris completa 850 anos

A Catedral de Notre Dame (Nossa Senhora), de Paris, é uma das mais belas igrejas da Europa; uma prova da pujança, espiritualidade e avanço científico e tecnológico da Igreja na Idade Média; o que desmente – pelos fatos – a lenda negra de que esta Idade foi de trevas. Ao contrário, foi o berço da Idade Moderna.

No dia 12 de dezembro, festa da Virgem de Guadalupe, a Catedral de Notre Dame completará 850 anos; há 150 foi restaurada por Viollet-le-Duc, famoso arquiteto francês do século XIX.

A construção da Catedral teve início em 1163 e foi concluída cento e oitenta anos depois, em 1345. Ela está localizada na pequena Île de la Cité, no centro de Paris, formada por dois braços do rio Sena. Ai existia uma antiga igreja catedral de estilo românico, construida em 528,  a primeira igreja católica da cidade: a Basílica de Saint-Etienne.

A Catedral de Notre Dame é considerada um “Catecismo de pedra”; suas esculturas, pinturas e  seus vitrais ensinam as verdades da doutrina católica, especialmente  para quem não saiba ler e escrever. Como disse Victor Hugo, é uma “Bíblia de Pedra”. Em seu interior aconteceram os mais importantes episódios vividos pelos franceses, tristes e alegres. Ela foi profanada durante a triste e sanguinária Revolução Francesa (1789) quando os racionalistas ateus introduziram em seu altar a “deusa da razão”, simbolizada por uma bailarina; houve  danças e festas profanas no interior da Catedral.

Os sinos de Notre Dame são um dos símbolos de sua  beleza e majestade. Por volta de 1769, o monumento chegou a contar com 20 deles que ecoavam por toda a capital francesa convidando para a oração, anunciando as horas de alegria e de tristeza, lembrando o tempo que escoa e a eternidade que espera por todos.

Durante a revolução francesa os sinos foram retirados dos campanários da catedral. Os revolucionários derreteram cada um deles e seu bronze foi usado para construir canhões… Restou apenas o maior que tem cerca de 13 toneladas e que foi batizado como Emmanuel. Oito novos sinos devem ser colocados na torre da Catedral novamente, dentro das  festividades que se situam dentro do “Ano da Fé”. Espera-se que cerca de 20 milhões de peregrinos deverão visitar este monumento de fé e  beleza  – um “Catecismo de Pedra”.

Prof. Felipe Aquino

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.