Casamentos mistos – EB

par-de-aliancas-de-noivadoVia Internet a Redação de PR recebeu a seguinte mensagem: Sou católico e tenho uma namorada protestante, da igreja Batista. Queremos nos casar, posto que nos gostamos muito. Qual a possibilidade de acontecer um casamento ecumênico?

Qual a possibilidade de haver um casamento em minha igreja e outro na igreja de minha namorada? Existe algum empecilho para nos unirmos?

Por favor, ajude-me com os seus conselhos e também com sua sabedoria tanto de vida como de religioso.

QUE DIZER?

Proporemos três ponderações:

1) É possível realizar-se um casamento misto entre uma pessoa católica e outra batizada, mas pertencente a uma denominação cristã não católica, desde que a parte católica peça dispensa do impedimento à autoridade diocesana, a qual pedirá ao interessado que preencha algumas condições definidas pelo Código de Direito Canônico nos termos seguintes:

Cân. 1125 – O Ordinário local pode conceder essa licença, se houver causa justa e razoável; não a conceda, porém, se não se verificarem as condições seguintes:

1ª – a parte católica declare estar preparada para afastar os perigos de defecção da fé, e prometa sinceramente fazer todo o possível a fim de que toda a prole seja batizada e educada na Igreja católica;

2ª – informe-se tempestivamente, desses compromissos da parte católica à outra parte, de tal modo que conste estar esta verdadeiramente consciente do compromisso e da obrigação da parte católica;

3ª – ambas as partes sejam instruídas a respeito dos fins e  propriedades essenciais do matrimônio, que nenhum dos contraentes pode excluir.cpa_problemas_no_casamento_1ed_1

2) A Igreja Católica não faz casamentos “ecumênicos”, pois protestantismo não tem o matrimônio como sacramento. O que se pode é realizar a cerimônia do casamento católico, na presença do pastor protestante, que fará no final sua oração pelos nubentes. Muito menos se pode pensar em fazer duas cerimônias: uma na igreja católica e outra no templo protestante, pois isto redundaria em relativismo do sacramento católico.

3) Os casamentos mistos não são desejáveis nem para o protestantismo nem para o catolicismo pois, se não há a mesma fé nos dois cônjuges, falta um poderoso elemento consolidador da estrutura matrimonial. A fé oferece uma cosmovisão ou uma escala de valores que tem importância capital no desempenho da vida de cada um dos cônjuges, especialmente nas horas difíceis. Em tais casos a prática religiosa, em vez de se unir, divide o casal, pois, se cada qual é fiel ao seu Credo, cada qual frequenta a sua igreja. Mais: os filhos, ao verem o comportamento religioso dos pais, se tornam indiferentes em relação à Religião, pois veem nela um fator de divisão, a menos que um dos cônjuges renuncie às suas crenças – o que pode causar crise e mal-estar no indivíduo apóstata.

Revista: “PERGUNTE E RESPONDEREMOS”
D. Estevão Bettencourt, osb
Nº: 518  –  Ano:  2005 – p.  355

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.