Carta em manifestação ao Congresso Continental de Teologia na Unisinos (RS)

Publicamos a carta que o amigo Luís Eugênio Sanábio e Souza enviou a Dom Zeno; para a reflexão de nossos leitores. Sanábio é um católico que atua em comunhão plena com o seu bispo, Dom Gil Antônio Moreira, de Juiz de Fora.

Juiz de Fora, 14 de junho de 2012
 
Excelentíssimo Dom Zeno Hastenteufel,
 
Peço-lhe a benção.

Em conformidade com o cânon 212 § 2 § 3 do Código de Direito Canônico (que nos fala do direito-dever dos fiéis de manifestar aos Pastores sagrados a própria opinião sobre o que afeta o bem da Igreja), respeitosamente peço à Vossa Exma. uma firme intervenção pastoral (cânon 810 § 2) no sentido de proibir a participação ativa de hereges confessos (entre eles o Sr. Leonardo Boff) no Congresso Continental de Teologia que se realizará em outubro na universidade jesuíta Unisinos sediada em São Leopoldo (RS).

Diversos meios de comunicação estão apontando o Vosso nome (Dom Zeno) como Bispo responsável diante deste eventual escândalo, pois o Congresso pretende apresentar as teses heréticas da Teologia da Libertação mediante a participação de hereges confessos (inclusive de fama internacional como Jon Sobrino – já advertido pela Santa Sé -). Vários homens que frequentemente caluniam e agridem o Papa participarão do evento dentro de uma instituição eclesial e isso, como sabemos, contraria a disciplina canônica vigente (cânon 810 § 2) e as diretrizes dos documentos pontifícios (sobretudo a Constituição Apostólica Ex Corde Eclessiae: Parte II: Artigo 5 § 2,  que fora composta pelo saudoso Beato João Paulo II).

Em tempos recentes, o Sr. Leonardo Boff agrediu o Papa dentro de uma Pontifícia Universidade Católica e eu, consciente deste verdadeiro absurdo, denunciei o caso, mas posteriormente achei por bem limitar o alcance de minhas denúncias com o objetivo de evitar o escândalo que certamente iria prejudicar demasiadamente a vida de um Bispo.

Neste sentido, tive apoio do meu zeloso Arcebispo Dom Gil Antônio Moreira que me ajudou a resolver o impasse. Agora, infelizmente, o problema se repete e eu não irei poupar energias para lutar em favor da moralização das universidades que os Bispos precisam respeitar. Entendo que é preciso defender com todo vigor e firmeza a identidade católica das universidades e isso exige dos Bispos o exercício da autoridade episcopal. Não é aceitável difundir idéias heréticas e calúnias contra o Santo Padre dentro de uma instituição eclesial. Aqui não importa quem está organizando o evento, porque quem oferece espaço físico e apoio para palestrantes heterodoxos e de má fama, é também responsável pelo escândalo.

A notícia deste Congresso já repercutiu mal na Europa e diante disso a Unisinos lançou uma Nota de Esclarecimento para explicar que a Universidade Jesuíta está apenas cedendo o espaço e que a Comissão Organizadora é a responsável pelo evento. Entretanto, tal justificativa é inaceitável porque é também imoral a conivência e a cooperação com o mal (Catecismo da Igreja Católica n° 1868 e também n° 2480).

O Congresso lançou um site próprio:
http://www.unisinos.br/eventos/congresso-de-teologia/programacao/programa#

Segundo o site, já está confirmada a participação do Sr. Leonardo Boff e outros defensores dos desvios da Teologia da Libertação. Foi também lançado na internet um duro protesto contra o Congresso: http://fratresinunum.com/2012/06/11/congresso-latino-americano-claro-na-unisinos/

Feitas estas sérias considerações que tanto magoam aqueles que amam a sã doutrina católica e que valorizam a integridade moral e doutrinal das instituições eclesiais, confio no juízo pastoral de Vossa Exma. Dom Zeno Hastenteufel e por isso espero que providencie imediatamente o cancelamento deste Congresso ou pelo menos que seja proibida a participação de todos estes homens que comprovadamente denigrem e desrespeitam a doutrina católica. A citada Constituição Apostólica Ex Corde Eclessiae nos lembra claramente que “cada Bispo tem a responsabilidade de promover o bom andamento das Universidades Católicas na sua diocese e tem o direito e o dever de vigiar sobre a preservação e o incremento do seu carácter católico. No caso de surgirem problemas a respeito de tal requisito essencial, o Bispo local tomará as iniciativas necessárias para resolvê-los, de acordo com as Autoridades académicas competentes e de harmonia com os processos estabelecidos  e – se necessário – com a ajuda da Santa Sé” (Artigo 5 § 2).

Exmo. Dom Zeno, eu sou um homem que respeita as autoridades da Igreja e por isso mesmo estou escrevendo para o Sr. em respeito à Vossa posição de Bispo responsável pela região em que está localizada a Unisinos. Este é meu primeiro passo em sinal de respeito à Vossa autoridade. Contudo, humildemente confesso que, havendo necessidade, sei que minha consciência cristã me obrigará a estender o meu protesto para todos os Bispos do Brasil (mediante uma CIRCULAR), para o Exmo. Núncio Apostólico Dom Giovanni D’Aniello e para as autoridades da Sé Apostólica.
 
Grato pela atenção, peço-lhe a benção.
 
 Luís Eugênio Sanábio e Souza 

(leigo, articulista católico em Juiz de Fora -Minas Gerais)

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.