Carta do Papa Bento XVI ao Cardeal Camillo Ruini Vigário-Geral para a Diocese de Roma

Ao Venerado
Irmão Senhor Cardeal CAMILLO RUINI
Vigário-Geral para a Diocese de Roma

A Páscoa já próxima oferece-me a ocasião propícia para lhe enviar com singular
afecto, juntamente com os meus mais cordiais bons votos, uma especial expressão
de reconhecimento pelo longo e frutuoso serviço que Vossa Eminência desempenhou
como Presidente da Conferência Episcopal Italiana. É portanto no sinal do
Senhor ressuscitado que lhe dirijo esta mensagem, dado que precisamente para
Cristo, esperança do mundo, foi orientado o caminho da Igreja italiana por
Vossa Eminência sábia e corajosamente guiada, caminho que culminou no recente
Congresso eclesial de Verona, no qual também eu tive a alegria de participar.

Está a
realizar-se nestes meses a visita ad limina Apostolorum dos Bispos da Itália.
Encontrando-me com eles, Região por Região, tenho a oportunidade de me
aperceber melhor da grande riqueza de fé e de acção pastoral presente nesta
Comunidade e do espírito apostólico que anima os Pastores. Ao dar graças a Deus
por estes seus dons, não posso deixar de reconhecer o justo mérito também a
Vossa Eminência, Venerado Irmão, que por mais de três quinquénios guiou o
Episcopado italiano como Presidente, sem contar a contribuição determinante
oferecida já precedentemente no papel de Secretário-Geral da Conferência
Episcopal. O venerado Servo de Deus João Paulo II, que o quis sucessor do
saudoso Cardeal Poletti como seu Vigário para a Diocese de Roma e o nomeou
depois Presidente da CEI, pôde encontrar sempre em Vossa Eminência um
colaborador fiel e sábio, pronto para transmitir ao Episcopado as indicações
magisteriais e pastorais do Sucessor de Pedro e solícito em ajudar os Irmãos,
mediante a acção do Conselho Permanente, das diversas Comissões Episcopais e
dos Órgãos centrais, a recebê-las e concretizá-las. Desta forma, Vossa
Eminência contribuiu validamente para fazer com que as diversas Igrejas
particulares, assim como as associações, os movimentos e as comunidades
eclesiais, pudessem proceder unidas sob a guia do Papa, para que a transmissão
do Evangelho num mundo em mudança fosse apoiada e confirmada pelo testemunho de
uma comunhão efectiva.

Tendo tido
a oportunidade nestes anos de partilhar com Vossa Eminência, Venerado Irmão,
muitos momentos de vida e de serviço eclesial, é com particular prazer que lhe
expresso o meu apreço pessoal e o meu reconhecimento sincero e profundo. Por
fim, como não recordar que Vossa Eminência guiou os Bispos italianos numa fase
delicada e crucial da história do Povo italiano? Nestes anos a sua coragem e
tenacidade na defesa do compromisso da Igreja certamente prestaram um serviço
não só ao Povo de Deus mas a toda a Nação italiana.

Queira Deus
levar à plena maturação as numerosas iniciativas encaminhadas pela Igreja que
está na Itália. Que no-lo obtenha a materna intercessão de Maria Santíssima, à
qual confio a sua pessoa e o seu ministério, enquanto com afecto lhe renovo a
Bênção Apostólica fazendo-a de bom grado extensível a quantos lhe são queridos.

Vaticano,
23 de Março de 2007.

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.