Carta aberta a RCC e Novas Comunidades

Amados irmãos e irmãs da Renovação Carismática Católica e das Novas Comunidades do Brasil. “Oh, como é bom, como é agradável para irmãos unidos viverem juntos” (Sl 132, 1).

Neste dia, no qual a Igreja celebra a memória do grande bispo Santo Agostinho de Hipona, demonstramos a felicidade de estarmos unidos como irmãos, como família carismática, celebrando a vida fraterna. Assim, nestes três dias, Renovação Carismática Católica e diversos representantes de Novas Comunidades do Brasil, reuniram-se em oração, conferências e discussões na busca por um novo derramar do Espírito Santo para o fortalecimento dos elos que devem nos unir.

“Vinde, dirão eles, subamos à montanha do Senhor, à casa do Deus de Jacó: ele nos ensinará seus caminhos, e nós trilharemos as suas veredas” (Is 2,3).

Reunidos na Casa de Retiro São José, em Sorocaba-SP, espaço histórico de inúmeras reuniões das expressões carismáticas, celebramos o amor entre os irmãos, o diálogo, bem como refletimos sobre os inúmeros desafios que se apresentam em nossas realidades de Movimento e Novas Comunidades.

O incentivo e desejo de vivência na espiritualidade carismática nos motivou a refletir sobre os fatores que nos unem bem como sobre os problemas que nos afastam; dessas reflexões muitas sugestões surgiram. Redescobrimos a beleza de termos a mesma matriz, possuímos um carisma original (espiritualidade) comum, nascemos do mover do Espírito a partir da Renovação Carismática Católica, cientes de que essa constatação em nada ofusca ou diminui a graça dos Carismas fundantes nas Novas Comunidades, ou mesmo interfere na paternidade ou maternidade espiritual de seus fundadores; ao contrário, dinamiza e revitaliza o Carisma do fundador (a) e o Carisma fundante.

A graça de Pentecostes é para todos e o Espírito Santo é quem promove a espiritualidade carismática. A Renovação Carismática, tendo, por graça, a missão confiada pelo Bem Aventurado João Paulo II de articular, coordenar e promover essa espiritualidade carismática, ofereceu o seu serviço a todas as Novas Comunidades, para gerar a unidade, fazer-se presente e tê-las presentes sem interferir em seu governo, formação, gestão ou estrutura, e sim como instância de articulação, de comunhão. Por outro lado, que as Novas Comunidades enriqueçam com a beleza de seus Carismas a vida do Movimento, sendo o que são em unidade, acolhidas e compreendidas em sua maneira de ser; a própria vivência em Comunidade já assegura a expressão de uma espiritualidade carismática, experiência que o Movimento vivencia em seus Grupos de Oração.

Este só foi o início do caminho, mas ainda há muito que se trabalhar para a efetiva comunhão; simpósios, encontros de articulação, partilha dos materiais formativos, entre outros.

Que a Renovação Carismática Católica e as Novas Comunidades sejam fiéis na missão que lhes foi confiada (Cf. I Cor. 4, 1-2).

*Assinam a Carta:

Marcos Volcan (Presidente do Conselho Nacional da RCC)

Gilberto Gomes Barbosa (Fundador da Comunidade Obra de Maria – Responsável pela Regional Frater)

Reinaldo Beserra dos Reis (Assessor do Conselho Nacional da RCC para as Novas Comunidades)

Pe. Márlon Múcio Corrêa Silveira (Fundador da Missão Sede Santos)

Henrique Santos Filho (Fundador da Comunidade Anuncia-me)

Luiz Carlos Nunes de Santana (Fundador da Comunidade Passio Domini).

Publicado em Sorocaba, 28/08/2011.

 

 

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.