Cáritas Espanha: pobres já são 20% da população

A ONG da
Igreja apresentou uma nova campanha contra a crise

MADRI, terça-feira,
2 de novembro de 2010 (ZENIT.org) – “Precisamos de mais mãos e mais meios para
seguir adiante e para continuar dizendo à sociedade que as vítimas da pobreza
são pessoas, não números.”

Esta é a
mensagem lançada pelo presidente e pelo secretário-geral da Cáritas Espanha,
Rafael del Río e Sebastián Mora, respectivamente, na coletiva de imprensa
realizada ontem, em Madri, para apresentar os dados da Memoria Confederal
2009 da instituição.

Na
coletiva, apresentou-se a nova fase da campanha “Cáritas diante da crise”, que
vem se desenvolvendo desde 2008 para convidar a sociedade a reforçar sua
solidariedade com as vítimas da situação econômica.

Nesta nova
etapa, lançada com o lema “São pessoas, não números”, a Cáritas pretende
renovar seu convite à comunidade cristã e a toda a sociedade para, em palavras
de Sebastián Mora, “gerar opinião para impulsionar uma maior solidariedade com
as pessoas mais pobres e que a sociedade conheça a fundo, muito além da
torrente de dados econômicos, como a crise está afetando as pessoas mais
vulneráveis”.

Neste
sentido, o secretário-geral da Cáritas falou da possibilidade de que a
precariedade aumente, ao analisar o incremento das taxas de pobreza – que,
segundo os dados de FOESSA e da última Pesquisa de Condições de Vida do INE,
atinge 20% da população – ou o recorte de políticas sociais.

A atividade
das 68 Cáritas diocesanas que integram a Confederação Cáritas na Espanha gera,
como indicou Sebastián Mora, “uma sensação ambivalente: de alegria, pelo muito
que se fez, e de sofrimento, pela evidência de todas as dificuldades ainda
pendentes que são enfrentadas pelas pessoas mais vulneráveis”.

Os dados
demonstram, em geral, um saldo positivo quanto ao esforço realizado na luta
contra a pobreza. É especialmente positivo que, em meio a uma profunda crise
econômica, os recursos totais investidos pela Cáritas Espanhola em 2009 (230
milhões de euros) tenham aumentado 6% em relação ao ano anterior; que o número
de voluntários tenha crescido 5%; e que a base de sócios e benfeitores tenha se
duplicado, até superar os 472 mil.

Da mesma
forma, o secretário-geral sublinhou que a Cáritas redobrou seus esforços para
responder aos efeitos da crise nas pessoas em condições mais precárias.

Os dados
recolhidos nas frentes de ação prioritária diante da crise revelam que em
apenas 2 anos se duplicou o número de pessoas atendidas, até chegar a cerca de
800 mil. Quanto ao emprego, atendeu-se mais de 90 mil pessoas. E quanto à
moradia, os recursos aumentaram 22%.

O
fortalecimento da ação da Cáritas durante 2009 não só se confirma nos programas
de luta contra a pobreza dentro da Espanha, mas também se reforça na Cooperação
Internacional, na qual os recursos aumentaram 5%.

Este dado,
como destacou Mora, reflete a verdadeira identidade da Cáritas de enfrentar os
efeitos da exclusão a partir de uma visão global, porque, “quando lutamos
contra a pobreza em terceiros países, estamos lutando também contra a pobreza
dentro do nosso”.

Quanto à
procedência dos recursos, confirma-se a tendência mantida durante os últimos 10
anos de maior preponderância dos fundos privados sobre os públicos. Em 2009, de
cada 100 euros investidos pela Cáritas, 62 procediam de doações privadas e 37
de subvenções públicas.

Os
responsáveis da Cáritas Espanhola destacaram a importância deste fato pelo que
supõe “de fortaleza da base social com que a instituição conta, de liberdade
para a Cáritas na hora de manter sua independência na denúncia e a formulação
de propostas sociais aos poderes públicos, e de garantia de futuro para manter
seu compromisso com os mais fracos diante de um futuro incerto de crescentes
recortes nos gastos sociais”.

Para mais
informação: www.caritas.es

 

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.