Cardeal Medina pede que legisladores católicos não apóiem as uniões gay

SANTIAGO, 02 Jun. 11 (ACI) .- O Prefeito Emérito da Congregação para o Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos, o Cardeal Jorge Medina, chamou os parlamentares católicos a não dar seu voto ao Acordo de Vida em Comum, porque abriria as portas às uniões homossexuais no Chile.

“A iniciativa é lamentável, porque não se trata de regular ou regulamentar as uniões de fato, mas sim favorecê-las”, disse esta segunda-feira o purpurado à Radio Bío Bío. “Isto significa, desde o ponto de vista da lei, dar um golpe ao matrimônio e introduzir um elemento mais para debilitar esta instituição essencial para toda sociedade que é o matrimônio entre um homem e uma mulher para toda a vida”, acrescentou.

O Cardeal advertiu que o matrimônio “já foi debilitado com um golpe feroz ao ser aprovada a lei de divórcio”. “Nossa postura não vai mudar, porque tudo o que signifique debilitar o matrimônio é negativo e lamentável”, assinalou.

O Cardeal também recomendou às pessoas com tendência homossexual “que evitem o contato com pessoas homossexuais, porque já sabemos onde pode parar esta coisa. É um esforço, mas toda vida cristã implica um esforço”.

“A tendência homossexual é algo que a ciência não esclareceu de onde procede. Uma pessoa pode tê-la, mas viver conforme à moral, quer dizer, não viver com um casal, não deixar-se levar por esse impulso da homossexualidade que é muito forte”, assinalou.

O Cardeal Medina recordou que uma convivência homossexual é “desde o ponto de vista católico e cristão é inaceitável. São Paulo disse: ‘Os que pratiquem a sodomia não verão o reino de Deus’. Não se pode dizer uma coisa mais forte”.

“Quando uma pessoa tem a tendência homossexual muito forte, não deveria contrair matrimônio, porque está viciado ao ponto que um tribunal eclesiástico poderia considerá-lo nulo, está considerado no direito canônico”, explicou.

 

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.