Cardeal da Cúria Romana denuncia: a mídia secular quer “sequestrar” o Sínodo para as famílias

RaymondBurke_JoaquinPeiroPerez_ACIPrensaO Site ACI/EWTN Noticias informou nesta quinta-feira (25/09/14) que o Prefeito da Signatura Apostólica, Cardeal Raymond Burke, denunciou que o Sínodo extraordinário sobre a Família, que se realizará em outubro no Vaticano, sofreu uma tentativa de sequestro por algumas mídias seculares que estão alimentando expectativas de mudanças “impossíveis” na doutrina da Igreja.

Segundo a notícia, em recentes declarações ao Grupo ACI, o Cardeal Raymond Burke assinalou que “não acredito que seja necessário ser brilhante para ver que os meios de comunicação, por meses, estiveram tentando sequestrar este Sínodo”.

A Signatura Apostólica, dirigida pelo Cardeal Burke, encarrega-se, entre outras coisas, de dirigir os casos de nulidade matrimonial na Igreja.

O Cardeal Burke assinalou que, de forma particular, os meios de comunicação estiveram apresentando o Papa Francisco como se ele fosse a favor de permitir que a Comunhão seja entregue aos divorciados em nova união, e outras propostas semelhantes, embora na verdade não seja assim.

O perigo, continuou o Cardeal, é que “os meios de comunicação criaram uma situação na qual as pessoas esperam que vá haver estas mudanças maiores, que de fato, constituiriam uma mudança no ensinamento da Igreja, o que é impossível”.

O Sínodo extraordinário sobre a Família, que se realizará de 5 a 19 de outubro deste ano, converteu-se no centro do debate sobre se a Igreja Católica deve modificar as suas práticas pastorais para permitir que os divorciados em nova união possam receber a Comunhão, em casos nos quais não se obteve uma nulidade.

O ensinamento da Igreja neste tema, disse o Cardeal Burke, é a misericórdia, “porque respeita a verdade de que a pessoa está de fato vinculada por uma união prévia que, por qualquer que seja a razão, já não está vivendo”.

“A Igreja mantém a pessoa na verdade desse matrimônio”, continuou, “ao mesmo tempo, sendo compassiva, entendendo a situação da pessoa, acolhendo-a dentro da comunidade paroquial nas formas que são apropriadas, e tentando ajudá-la a levar uma vida o mais santa que possam, mas sem trair a verdade do seu matrimônio”.

Isso, disse, “é misericórdia”.

O Cardeal Burke destacou que “simplesmente, não tem sentido falar sobre uma misericórdia que não respeita a verdade. Como que isso pode ser misericordioso?”.

O Cardeal indicou que na Signatura Apostólica “tentamos, tanto como podemos, ajudar as pessoas a que entendam que é um erro grave viver com alguém como se estivessem casados, quando de fato não está livre para casar”.

Para quem pede a nulidade do seu matrimônio, o cardeal disse que “a Igreja tem que ter um processo correto para chegar à verdade desse pedido”.

“O processo de nulidade matrimonial é o fruto de séculos de desenvolvimento, por parte de vários peritos canonistas, sendo um dos grandes o Papa Bento XVI”, disse o Cardeal, assinalando que “para nós agora, dizer simplesmente que não necessitamos mais disso é o cúmulo do orgulho ”.

Em vistas ao Sínodo de outubro, o Cardeal Burke expressou a sua esperança de que se “estabelecerá a beleza do ensinamento da Igreja sobre o matrimônio, em todos seus aspectos, como uma união entre um homem e uma mulher, fiel, indissolúvel por toda a vida e procriadora”.

Sobre este último ponto, ressaltou, “a constituição pastoral da Igreja no mundo moderno disse que as crianças são a coroa do amor conjugal”.

Considerando todas as coisas, o Cardeal Burke assinalou que o Sínodo sobre a Família pode ser algo bom “desde que se baseie na doutrina e disciplina da Igreja com respeito ao matrimônio. Mas não pode ser simplesmente um tipo de enfoque sentimental ou pessoal que não respeite a realidade objetiva do matrimônio”.

“Na medida em que se baseie solidamente sobre o ensinamento da Igreja e sua disciplina, acredito que será muito positivo”, assegurou.

Fonte:http://www.acidigital.com/noticias/cardeal-da-curia-romana-denuncia-a-midia-secular-quer-sequestrar-o-sinodo-para-as-familias-59001/

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.