Biblioteca Vaticana se digitaliza com tecnologia da NASA

Vaticano, 24 Out. 11 (ACI) – Os recursos do patrimônio da Biblioteca Vaticana serão digitalizados para sua preservação e modernização com uma tecnologia realizada pela NASA, conforme informa o jornal italiano Il Corriere della Sera.

O Prefeito da Biblioteca Vaticana, Dom Cesare Pasini, sacerdote de 61 anos à frente da instituição desde 2007, explicou ao jornal que o projeto de conservação “não tem precedentes no mundo por suas dimensões”.

O Pe. Pasini explicou que o projeto se dá para evitar “a deterioração dos manuscritos devido à prolongada consulta direta” dos peritos.

A digitalização do patrimônio vaticano será realizada por etapas e implicará o traslado das peças a serem conservadas a uma zona especial a temperaturas adequadas no qual trabalharão “entre 120 e 150 pessoas”.

A agência EFE assinala que para realizar este projeto empregarão a tecnologia Fits (Sistema de Transporte Flexível de Imagens, por suas siglas em inglês), criada há 40 anos pela NASA para conservar as imagens de suas missões espaciais, e “atualizada continuamente pela comunidade científica internacional”.

Dom Pasini disse também ao diário italiano que a fase de testes sobre um padrão de 23 manuscritos aleatórios concluiu-se satisfatoriamente.

“Agora sabemos que todo o conjunto funciona: sabemos como fazer as fotos, capturar os manuscritos, conservar os dados. Já temos um ponto de partida”, sustentou.

O projeto poderia durar dez anos, mas Pasini conta com “inserir na rede as primeiras imagens durante o próximo ano”. “Os manuscritos são um patrimônio da humanidade que queremos fazê-los acessíveis a toda a humanidade, e que, ante a humanidade, temos a responsabilidade de conservar”, assegurou.

Os recursos da Biblioteca só podem ser consultados por 250 especialistas, em câmaras subterrâneas de temperatura e umidade controladas, devido à fragilidade de muitas das peças contidas na coleção, a mais importante humanístico-renascentista do mundo.

A Biblioteca Vaticano contém 1.6 milhões de volumes impressos, 80.000 manuscritos, 74.000 documentos de arquivo, 100.000 incisões e 300.000 moedas e medalhas.

Entre suas jóias se inclui o “Codex Vaticanus”, o primeiro testemunho da Bíblia grega de que se tem notícias, o “papiro Bodmer”, a transcrição mais antiga, datada entre o 175 e o 225 depois de Cristo, dos Evangelhos de São Lucas e São João, e a “Geographia” de Ptolomeu.

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.