Bento XVI: Procurem a paz com a harmonia do diálogo evitando sempre a violência


Vaticano, 12 de julho de 2012 (ACIDIGITAL) – O Papa Bento XVI fez um especial chamado a buscar a paz no mundo inteiro através da harmonia do diálogo, evitando sempre o recurso à violência e as armas.

Assim assinalou o Pontífice ontem à noite em seu discurso após o concerto em sua homenagem no dia de São Bento realizado pelo maestro Daniel Barenboim e os músicos da West-Eastern Divan Orchestra, realizado no palácio apostólico de Castelgandolfo.

O Papa refletiu sobre a mensagem da música, concretamente quando tocada por um grupo de pessoas: “podem imaginar quanto me alegra acolher uma orquestra como esta, que nasceu da convicção ou, melhor ainda da experiência, de que a música une as pessoas, acima de qualquer divisão porque a música é a harmonia das diferenças”, indicou.

“Da multiplicidade de timbres dos diversos instrumentos pode nascer uma sinfonia. Mas isto não acontece por mágica nem automaticamente! Realiza-se sobre tudo graças ao esforço do diretor e de cada músico. Um esforço paciente, fatigante, que exige tempo e sacrifício, no esforço de escutar-se mutuamente, evitando excessivo protagonismo e privilegiando o êxito do conjunto”.

O Papa disse logo que “enquanto expresso estes pensamentos, a mente contempla a grande sinfonia da paz entre os povos a que ainda não chegamos. Minha geração, como a dos pais do Professor Barenboim viveu a tragédia da Segunda guerra mundial e da Shoah”.

“É muito significativo que o maestro, logo depois de ter obtido as metas mais altas para um músico, tenha posto em marcha um projeto como o da West-Eastern Divan Orchestra: um grupo no qual tocam músicos israelenses, palestinos e de outros países árabes; pessoas de religião judia, muçulmana e cristã”.

Depois de ressaltar a excelência profissional dos músicos que executaram a quinta e a sexta sinfonia de Beethoven, o Santo Padre disse que ambas têm um significado muito interessante já que expressam dois aspectos da vida:

“O drama e a paz; a luta do homem contra o destino adverso e sua imersão serena no ambiente bucólico. Beethoven trabalhou nestas duas obras quase contemporaneamente. Tanto assim que ambas foram executadas pela primeira vez juntas -como esta noite- no memorável concerto de 22 de dezembro de 1808 em Viena”.

O Papa disse logo que a mensagem destas peças para os nossos dias é de que “para obter a paz é necessário comprometer-se, deixando de lado a violência e as armas, comprometer-se na conversão pessoal e comunitária, com o diálogo e a busca paciente de possíveis acordos”.

“A cada um de vocês eu desejo que sigam semeando no mundo a esperança da paz através da linguagem universal da música”, concluiu Bento XVI.

Fonte: http://www.acidigital.com/noticia.php?id=23880

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.