Bento XVI na Croácia: “A Igreja deve ser a consciência moral da sociedade”, diz o Papa na Catedral de Zagreb

Cidade do Vaticano (Segunda-feira, 06-06-2011, Gaudium Press) A figura do beato Alojzije Stepinac, “intrépido pastor” croata e “exemplo de zelo apostólico e de firmeza cristã” nos tempos dos regimes nazista e comunista, esteve no centro da homilia de Bento XVI na cerimônia das Vésperas na Catedral de Zagreb, celebrada neste domingo com bispos, sacerdotes, consagrados, seminaristas, noviços e noviças, e que encerrou sua viagem à Croácia.

O Santo Padre convidou a Igreja Católica do país “a estar unida para enfrentar os desafios do contexto social em mudança, individuando com audácia missionária novos caminhos de evangelização especialmente ao serviço das jovens gerações”.

O beato Alojzije Stepinac, um mártir do período comunista, mesmo que não tenha morrido diretamente pelas forças opressoras, mas em consequência de doenças, foi proclamado mártir. Seus méritos e a sua força, ressaltou o Papa “brotam essencialmente da sua fé”, no olhar fixo em Jesus Cristo.

“Graças precisamente à sua firme consciência cristã – continuou o Santo Padre – soube resistir a todo o totalitarismo, tornando-se defensor dos judeus, dos ortodoxos e de todos os perseguidos no tempo da ditadura nazista e fascista e depois, no período do comunismo, um “advogado” dos seus fiéis, especialmente dos numerosos sacerdotes perseguidos e assassinados. Graças a seu exemplo, e a tantos outros sacerdotes, religiosos e religiosas que nunca traíram a própria fé, a esperança e a caridade, disse o Papa, os católicos crotas permaneceram unidos e fiéis à Igreja.

As Vésperas na Catedral de Zagreb foram concluídas pelo Papa com uma oração pessoal diante do túmulo do beato Alojzije Stepinac.

Hoje, “(a Igreja) deve responder às diversas mediocridades nas questões de fé com um claro ensinamento moral, para tornar-se a consciência moral da sociedade”, afirmou o Santo Padre, referindo-se às palavras do beato mártir: “Ou somos católicos ou não o somos. Se o somos, é preciso que isto se manifeste em cada âmbito da nossa vida”.

“A doutrina moral da Igreja – continuou o pontífice – atualmente frequentemente incompreendida, não se pode desvincular do Evangelho”. Os pastores são chamados a ajudar os fiéis a avaliar as suas responsabilidades pessoais, a harmonia entre as suas decisões e as exigências da fé na construção de “uma reviravolta cultural necessária para promover uma cultura da vida e uma sociedade à medida do homem”. As palavras do Papa foram recebidas com um longo aplauso pelos presentes.

As Vésperas na Catedral de Zagreb foram concluídas pelo Papa com uma oração pessoal diante do túmulo do beato Alojzije Stepinac. O encontro com o clero e com os religiosos foi a última etapa da viagem de Bento XVI à Croácia. A cerimônia de despedida prevista para as 19h15 no aeroporto internacional “Pleso” de Zagreb foi anulada por causa do mau tempo. O Santo Padre trocou cumprimentos com o presidente dentro do aeroporto, entregando-lhe o texto do discurso que deveria proferir.

 

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.