Bento XVI alenta o diálogo entre fé cristã e ciência nas universidades

Vaticano, 17 Dez. 10 / 03:50 pm (ACI).- Ao presidir a oração das Vésperas ontem pela tarde com os universitários romanos em seu tradicional encontro antes do Natal, o Papa Bento XVI ressaltou que é possível um diálogo frutífero entre a fé cristã e os distintos saberes nas universidades, pois não se opõem mas se complementam.

Na Basílica de São Pedro o Papa disse que “a vocês, universitários, que percorrem o caminho fascinante e trabalhoso da busca e da elaboração cultural, o Verbo encarnado lhes pede que compartilhem com ele a paciência de construir. Construir a existência própria, a sociedade, não é uma obra que possam realizar mentes e corações distraídos nem superficiais”.

“Em nossos tempos se sente a necessidade de uma nova classe de intelectuais capazes de interpretar as dinâmicas sociais e culturais que não ofereçam soluções abstratas, mas sim concretas e realistas. A Universidade está chamada a desempenhar este papel insubstituível e a Igreja a sustenta convencida”.

A comunidade universitária romana, composta por instituições estatais, privadas, católicas e pontifícias deve desempenhar, disse o Papa, “uma notável tarefa histórica: a de superar incompreensões e preconceitos que às vezes impedem o desenvolvimento de uma cultura autêntica”.

“Trabalhando em sinergia, em particular com as faculdades teológicas, as universidades romanas podem indicar que é possível uma colaboração e um diálogo novo entre a fé cristã e os saberes diversos, sem confusão nem separação, mas compartilhando a mesma aspiração de servir ao ser humano em sua plenitude”.

Sobre o Natal, o Papa assinalou que “o Deus de Abraão se revelou, mostrou seu rosto e tomou morada em nossa carne em Jesus, filho de Maria -verdadeiro Deus e verdadeiro homem-, quem encontraremos uma vez mais na gruta de Belém”.

“Retornar a esse lugar humilde e estreito não é apenas um itinerário ideal: é o caminho que estamos chamados a percorrer sentindo em nossos dias a proximidade de Deus e sua ação que renova e sustenta nossa existência”.

“O caminho para a gruta de Belém é um itinerário de liberação interior, uma experiência de liberdade profunda porque nos empurra a sair de nós mesmos e a nos encaminharmos para Deus que se aproximou de nós” e “quer infundir valor em nossa vida, sobre tudo quando estamos cansados e fatigados e precisamos voltar a encontrar a serenidade do caminho e sentir-nos com alegria peregrinos rumo à eternidade”.

“O Menino que encontraremos entre Maria e José é o Logos-amor, a Palavra que pode dar plena consistência à nossa vida. Em Belém se encontram o hoje de Deus e o hoje do ser humano para iniciar juntos um caminho de diálogo e de intensa comunhão de vida”.

Ao final das vésperas a delegação universitária africana entregou à espanhola a imagem da Maria “Sedes Sapientiae”, que sairá em peregrinação por todas as universidades espanholas em preparação para a próxima Jornada Mundial da Juventude a celebrar-se em agosto de 2011 em Madrid.

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.