Bebês aprendem já no útero

Um estudo recente da neurologista Patricia Kuhl, diretora do Instituto de Aprendizado e Neurologia da Universidade de Washington (EUA), descobriu algo fantástico: mostrou que bebês aprendem a reconhecer o próprio idioma ainda no útero, ouvindo sua mãe e outras pessoas falarem.

A pesquisadora constatou que já na 30ª semana de gestação, “os mecanismos de audição já se desenvolveram e, nas semanas seguintes, a criança escuta o que se passa fora do útero. As palavras da mãe soam alto e o feto se concentra nelas”, explica a pesquisadora“A mãe é a primeira a influenciar o cérebro da criança”.

A equipe avaliou 40 recém-nascidos de Tacoma (EUA) e Estocolmo (Suécia): as crianças ouviam palavras de sua língua nativa e de línguas estrangeiras, enquanto aparelhos mediam sua reação (registrando a intensidade com que sugavam a chupeta). Quando escutavam palavras estrangeiras, sugavam a chupeta por mais tempo do que quando ouviam palavras do idioma materno, o que mostrou que elas eram capazes de diferenciar os dois tipos.

A pesquisadora diz que essa descoberta vai ajudar a entender porque as crianças aprendem tão rapidamente um idioma novo. “Nós queremos saber que mágica elas fazem ainda na infância e que adultos não conseguem fazer. Não podemos desperdiçar essa curiosidade precoce”.

Essa descoberta impressionante é mais uma prova cabal e inequívoca de que o feto é um ser humano que precisa ser tratado com todo carinho, defendido de toda ofensa, especialmente do assassinato do aborto.

Até quando as pessoas desumanas continuar não entendendo isso?

Até quando o egoísmo e o comodismo, aliados ao hedonismo vão continuar a matar seres indefesos e inocentes no seio materno, algo que nem os animais o fazem?

Até quando mães e pais insensíveis terão a coragem, de friamente, eliminarem a vida de seus próprios filhos?

[Fonte: Medical Xpress]

Prof. Felipe Aquino

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.