As profanações de Natal

Aproxima-se a grande Festa do Natal de Jesus Cristo, o maior acontecimento da História a humanidade, o amor de Deus se compadeceu a tal ponto de nós, que o Verbo, o Filho amado de Deus se fez homem, assumiu a nossa natureza humana, sem deixar de ser Deus; armou a sua Tenda entre nós, para nos salvar; nos levar a participar da vida divina.

No entanto, a miséria humana ainda não deixou muitos compreenderem esse Amor que levou o Criador à Cruz, por amor a nós. E continuam as blasfêmias na grande Festa do divino Salvador e Redentor. Enquanto a Igreja celebra com júbilo incontido “Gloria em excelsis Deo”, aqueles que não conhecem o amor de Deus, continuam suas ridículas blasfêmias.

Desta vez é na querida Espanha, um dos países que já foi o mais católico do mundo, terra de Santo Inácio de Loyola, São João da Cruz, Santa Teresa de Ávila, São Domingos de Gusmão, São João de Ávila e tantos outros. O site acidigital.com (04/12/2012) noticiou que o lobby gay na Espanha começou a divulgar a venda de presépios homossexuais, nos quais em vez de São José e a Virgem Maria, junto ao menino Jesus aparecem casais de homens gays ou de lésbicas, assim como três “rainhas magas”.

Os produtos são vendidos em uma loja de Madrid, como “Beleneggays”, pois se tratam de ovos (eggs, em inglês) vestidos, que, conforme revelou sua criadora, Lola Soria, procuram “refletir os diferentes modelos de sociedade, aplicá-los ao Natal atual”.

Os promotores do negócio, no site Web Ambiente G, ironizaram dizendo que “este ano (o presépio) pode ser um tanto diferente… este ano vocês podem ter um Presépio do mais gay”.

Por sua parte, o presidente da Associação Colibri de Gays Cristãos, Alain Brouze, disse ao informativo espanhol La Sexta que “me parece muito bem (a iniciativa de presépios gay), porque a família de Jesus já é um pouco estranha. Poder-se-ia comparar a uma inseminação artificial ou uma adoção”.

Não há dúvida que este presépio gay é ofensivo para os cristãos. Os homossexuais querem ser respeitados e amados, e têm este direito, mas infelizmente, porque a Igreja não concorda com a prática homossexual, e a considera pecado grave, não respeitam nossa fé, nossa Igreja e nossas festas religiosas. Querem liberdade para dizer o que querem, mas não dão liberdade a quem pensa diferente; uma democracia que tem cheiro de ditadura.

Prof. Felipe Aquino

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.