As flores e os espinhos

rosavermelhaAlguém me perguntou um dia, o que fizemos para viver bem quarenta anos casados…

sereis_uma_so_carneDepois que minha esposa faleceu, comecei a ir em seu túmulo todas as segundas-feiras (dia em que a Igreja se dedica às orações pelas almas), para, na fé, “estar um pouco com ela”, matar um pouco da saudade de suas gargalhadas gostosas e do seu jeito tão diferente do meu… Afinal, vivemos juntos mais de quarenta anos, e que o tempo jamais apagará. Foram cinco filhos, onze netos, muita festa…

Na primeira segunda-feira após a sua morte, fui a uma loja de flores para comprar um vaso de flores e levar a ela. Mas, estranho, não gostei de nenhum vaso de flores, embora fossem muito bonitos. Senti algo em meu coração: “não são dessas flores que ela gosta; e sim das rosas do nosso quintal”. Ela gostava muito de flores. No entanto, no meu quintal não havia roseiras e rosas. Então, não tive dúvidas, fui a uma floricultura e comprei 12 mudas de roseiras, uma de cada cor; e plantei no canteiro do meu quintal, no lugar das verduras. As roseiras, bem adubadas, cresceram logo, e estão com muitas rosas lindas e perfumadas, que agora levo para ela toda segunda-feira após a Missa. Apesar da saudade, me sinto muito bem ali; e aproveito para deixar rosas nos túmulos dos meus pais e sogros também.

foram_40_anosLeia também: Casados para sempre

Duas curas milagrosas na vida de minha esposa…

É no sofrimento que se descobre o sentido do casamento

O verdadeiro sentido do casamento

Por que o amor é para sempre?

Como viver a viuvez?

Um dia, quando eu colhia algumas rosas, uma delas me espetou com seus espinhos. E fiquei pensando: “como pode, uma rosa tão delicada e perfumada, ter um espinho tão agressivo?”

Logo pensei: “é para protegê-las!”. E, pensei ainda: “Para se oferecer uma rosa a alguém, é preciso ter a coragem de enfrentar seus espinhos, ainda que eles nos firam”. Não há rosas sem espinhos; não há vitórias sem luta; não há méritos sem lágrimas.

Assista também: Foram 40 anos…

100_mensagens

Alguém me perguntou um dia, o que fizemos para viver bem quarenta anos casados? Então, eu me lembrei da rosa e do seu espinho que feriu meu dedo. E disse a pessoa: se você for casado, “escolha ficar com os espinhos” do casamento, e ofereça a rosa para ele ou para ela. Quando as palavras duras do outro te ferir, como espinhos agudos, não revide, não reaja, ofereça as rosas com seu perfume. Quando a briga quiser começar, escolha os espinhos, não devolva palavras de ódio e de rancor, nem de ressentimento ou de autopiedade; fique com os espinhos, ofereça as rosas com seu perfume; a vitória será sua porque jamais alguém terá coragem de não aceitar rosas, mesmo em meio à guerra.

Afinal, “fica sempre um pouco de perfume nas mãos que oferecem rosas”…

Retirado do livro: “100 mensagens para a alma”. Prof. Felipe Aquino. Ed. Cléofas.

 

Banner-fixo-amor-autentico

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.