Arcebispo iraquiano denuncia a destruição de uma imagem de Nossa Senhora e a grave perseguição aos cristãos

MariaIrak_DominioPublicoSegundo ACI/EWTN Noticias (24/06/14), o Arcebispo caldeu (católico) de Mosul no Iraque, Dom Amel Shamon Nona, informou sobre a destruição de uma estátua da Virgem Maria feita pelos extremistas muçulmanos que tomaram o controle da cidade, mas acrescenta que no momento não há provas de que os rumores sobre uma “taxa islâmica” que seria importa aos cristãos em Mosul pelos islamitas do país e o Levante sejam certos.

O Arcebispo disse à agência vaticana Fides que “uma estátua da Virgem Maria foi destruída por militantes islâmicos que tinham derrubado a estátua de cima da torre da igreja caldeia da Imaculada Conceição”.

“O santuário mariano é um local de culto muito frequentado pelos fiéis e durante a remoção e a destruição da estátua de Maria, o interior da Igreja não foi violado. Outras estátuas da cidade tiveram a mesma sorte”.

A campanha conduzida pelos rebeldes islâmicos em Mosul e no norte do Iraque destruiu também estátuas como as dedicadas ao mulá Osman Musli e ao poeta Abu Tammam.

O Arcebispo caldeu de Mosul não confirma, por enquanto, os boatos sobre uma suposta “taxa pessoal” imposta aos cristãos de Mosul pelos milicianos islâmicos do Estado islâmico do Iraque e do Levante (Síria).

Diferentes fontes insistem em que os cristãos que ficaram na cidade são muito poucos, em sua maioria, idosos. “Até agora”, diz Dom Nona, que também se transferiu à aldeia de Tilkif, “somente alguns funcionários públicos cristãos foram autorizados a não voltar ao trabalho, porque possuem o status de membros de minoria”.

“Certamente a situação está piorando e estamos todos preocupados. Vejo também que a condição dos cristãos se torna por vezes alvo de operações de propaganda. Trata-se de uma instrumentalização perigosa para os próprios cristãos: falam de nós, mas na realidade, têm outro objetivo”.

No domingo, 22 de junho, em entrevista exclusiva, o ministro iraquiano para direitos humanos, Mohammed Shia al Sudani, acusou os milicianos sunitas do ISIL de cometer atrocidades contra a população da Planície de Nínive, incendiando igrejas, impondo taxas às comunidades cristãs e principalmente estuprando cristãs, cinco das quais, segundo o ministro, teriam se suicidado depois de sofrer violência.

Fonte:http://www.acidigital.com/noticias/arcebispo-iraquiano-denuncia-a-destruicao-de-uma-imagem-de-nossa-senhora-e-a-grave-perseguicao-aos-cristaos-58411/

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.