Arcebispo destaca vida católica exemplar do juiz assassinado no massacre do Arizona

John Roll +

DENVER, 12
Jan. 11 / 10:19 am (ACI).- O Arcebispo de Denver, Dom Charles Chaput, destacou o
testemunho de católico exemplar do juiz federal John Roll, assassinado no
tiroteio ocorrido no sábado 8 de janeiro na cidade de Tucson, no estado norte-americano
do Arizona, que deixou seis mortos e 14 feridos.

Roll foi uma das vítimas de Jared Loughner, um jovem de 22 anos que disparou 31
tiros quando a representante democrata Gabrielle Giffords se reunia com
cidadãos no estacionamento de um supermercado de Tucson, Arizona.

Giffords recebeu um tiro na cabeça mas sobreviveu ao ataque. A lista de
falecidos inclui um assistente da congressista, três anciãos e Christina Taylor
Green uma menina de 9 anos, também católica.

Em sua coluna da edição de 12 de janeiro do semanário Denver Catholic Register,
Dom Chaput afirma que estabeleceu uma amizade por correspondência com o juiz
Roll graças à sua esposa Maureen –dedicada a ajudar mulheres grávidas em
problemas-, quem conheceu há dois anos na Missa Anual
para Juristas que celebrou em Phoenix, Arizona.

Dom Chaput explica que depois das eleições presidenciais de 2008 começou a
intercambiar cartas com o juiz Roll e embora considere “impossível
conhecer completamente um homem só por correspondência”, cada uma das
cartas do Roll tinham quatro características claras: “generosidade,
inteligência, grandeza de espírito e um amor sincero por sua fé católica”.

O Arcebispo relata que dois dias depois do assassinato do juiz Roll, seu
assistente legal, Aaron Martin, descreveu o tipo de homem que o juiz era.

“Roll era devoto de Santo Tomás Moro e tinha uma biografia do santo perto
de seu escritório. Gostava de assessorar jovens advogados cristãos porque acreditava
que sua fé lhes dá uma melhor base moral para cumprir sua vocação na lei”,
sustenta Dom Chaput.

Em seu artigo assegura que “para Martin e outros empregados o juiz Roll
foi uma figura paterna mais que um chefe” que se preocupava muito por suas
famílias.

“Tinha o hábito de ler uma série de publicações católicas nos domingos
pela manhã antes de ir à Missa para aprender mais sobre sua fé”, afirma
Dom Chaput.

O juiz Roll costumava nadar nas manhãs para manter-se em forma e assistia à
Missa diária tão freqüentemente como podia. Ele costumava brincar sobre o fato
de que um agente federal tenha sido atribuído para sua segurança durante um
mês, em uma época em que recebeu ameaças. O agente lhe dizia: “Juiz, eu
sou católico, mas fui a mais Missas nos últimos 30 dias que nos últimos 10
anos”.

O falecido juiz teria completo 64 anos no próximo 8 de fevereiro. Tinha três
filhos e cinco netos. Maureen e John Roll se conheceram na adolescência, eram
os melhores amigos e ao fim do mês celebrariam seu aniversário 41 de matrimônio.
“John Roll foi um homem de graça pessoal incomum. Apesar de suas
diferenças políticas, o juiz Roll e a congressista Gabrielle Giffords, uma
democrata, tinham uma relação cordial de respeito mútuo. Giffords solicitava
mais recursos para o sistema judicial e o Juiz Roll estava agradecido por
isso”.

“Precisamente por causa de suas diferenças, Roll buscava saudar Giffords
em suas aparições locais sempre que podia. Na manhã de sua morte, Roll tinha
ido à Missa e às 9:55, segundo Martin, saiu de sua casa para passar pela
reunião pública de Giffords como mostra de cortesia, para cumprimentá-la. Ele
nunca retornou à sua casa”, revela Dom Chaput.

O Arcebispo pede orações
pela família do juiz
Roll e recorda que “esta vida passa. A eternidade é
para sempre. Temos que levar neste mundo, em conseqüência, uma vida de serviço
cristão. Maureen e John Roll compartilharam uma vida de testemunho cristão
manso, poderoso e autêntico”.

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.