Após exumação, os restos mortais da Serva de Deus Odetinha estarão disponíveis para visitação

O Site Gaudium Press publicou nesta quarta-feira (15 de janeiro de 2013), que segundo o Arcebispo Metropolitano do Rio de Janeiro, Dom Orani Tempesta, a partir do dia 20 de janeiro, os restos da Serva de Deus Odetinha (Odette Vidal de Oliveira) estarão disponíveis para serem visitados pelo público na Basílica da Imaculada Conceição, onde Odete recebeu os sacramentos da iniciação Cristão, no Rio.

Está prevista para dia 18 de janeiro a abertura oficial do processo de Beatificação e Canonização de Odetinha.

Conheça um pouco de sua biografia:

“Odette Vidal de Oliveira nasceu em Madureira em 15 de setembro de 1930. Seus pais a chamavam carinhosamente de Odetinha. Apesar de muito jovem, era reconhecida por todos como um lírio de pureza e caridade. Possuía um amor extraordinário a Jesus Sacramentado e ia à missa com frequência com sua mãe. Desde os quatro anos tinha colóquios íntimos com Jesus no Santíssimo Sacramento.

Sua família mudou-se para o bairro de Botafogo, na Zona Sul do Rio, ali ela teve oportunidade de preparar-se e fazer sua Primeira Comunhão. A cerimônia deu-se no Colégio São Marcelo, da Paróquia Imaculada Conceição, ao lado de sua casa, em 15 de agosto de 1937. Ela tinha sete anos de idade. Desde então, ao receber sacramentalmente a comunhão, ela dizia: “Oh meu Jesus, vinde agora ao meu coração!” Seu confessor atestou sua fé viva, confiança inabalável, intenso amor a Deus e ao próximo.

Odetinha demonstrou possuir uma profundo amor para com os pobres e exercitava a busca da santidade de forma impressionante e extraordinária para uma criança tão nova. E disso, em sua curta vida, deu inúmeras mostras que por muitas pessoas foram comprovadas.

Tinha uma vida de piedade grande. A modéstia e o pudor foram um grande sinal de sua alma pura e boa. Rezava o terço diariamente, tinha total confiança em Nossa Senhora. Queixava-se, ainda, pelo fato de São José ser tão pouco honrado.

Seus últimos dias foram vividos dentro de uma dolorosa enfermidade. ela guardou a paciência cristã. Em meio a tantas dores, dizia: “Eu vos ofereço, oh meu Jesus, todos os meus sofrimentos pelas missões e pelas crianças pobres”. Ela morreu em 25 de novembro de 1939. Recebeu a Santa Comunhão às 7:30 horas e dizia em sua Ação de Graças: “Meu Jesus, meu amor, minha vida, meu tudo”. Serenamente, às 8:20 horas, entregou sua alma a Deus.

Seu túmulo situa-se na quadra 6, nº 850, no Cemitério São João Batista (Botafogo).

Sua biografia oficial, lançada no ano seguinte de sua morte pelo Padre Afonso Maria Germe, causou grande comoção na sociedade carioca”.

Fonte: http://gaudiumpress.org/content/43390-Restos-mortais-de-Odetinha-serao-expostos-para-visita-publica#ixzz2I9kB0QRy

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.