Após 10 anos em estado vegetativo, rapaz desperta concretizando verdadeiro Milagre de Natal

O site ACIDIGITAL (07 de dezembro de 2012), publicou nesta sexta-feira, uma linda história real, da italiana Lucrecia Tresoldi, que no Natal de 2000 vivenciou o milagre de ver seu filho, depois estar há quase 10 anos inconsciente em decorrência de um acidente de carro, despertar.

Segundo o diagnóstico médico na época, a situação de seu filho Max de 20 anos, era bem complicada. Seu estado era como que de “um tronco morto sem possibilidade alguma de recuperação”.

A notícia relatou que, “no 28 de dezembro Lucrecia Tresoldi deitou o Max como o fazia a cada noite desde que saiu do hospital e nesta ocasião, não tomou sua mão para lhe fazer o sinal da cruz, sentia-se deprimida e sem forças. “Já não posso mais, não quero rezar nem nada”, disse ao filho.

Não obstante, como explica Lucrecia “o sinal da cruz foi realmente sua salvação”. Naquele exato momento Max tirou forças para consolar sua mãe, elevou a mão e fez ele mesmo o sinal da cruz. Depois, abraçou-a.

Para a Lucrecia foi o melhor presente de Natal de toda a sua vida. A partir desse momento, Max começou a exteriorizar seus sentimentos e emoções. Em declarações ao grupo ACI, Max afirmou que ele “sempre esteve contente apesar de sua paralisia”.

Após ter passado por essa experiência, Lucrécia, resolveu escrever um livro (“E adesso vado al Max” ) para contar a história de Max , até mesmo para encorajar e edificar outras pessoas que passam pelos mesmos problemas com seu testemunho.

Esta obra já ganhou o prêmio literário Mulher é Vida 2012 e Max recebeu outro presente por seu testemunho: uma escultura em cerâmica do artista Gianni Celano Giannici que representa essa mesma mão que depois de 10 anos de estado vegetativo se moveu para fazer o sinal da cruz.

Para Lucrécia, mãe de Max: “Este livro explica precisamente que a vida de uma pessoa, seja qual for o seu estado, é sempre uma vida e que deve ser enfrentada. É verdade que é difícil de enfrentá-lo, porque ter um filho totalmente perfeito, e depois deparar-se com um filho totalmente diferente daquele que saiu de casa, não é fácil. Mas a partir do momento em que se percebe que a vida deve seguir e se aceita o fato, chega a beleza, a força, a esperança…”

Hoje, Max ainda tem dificuldades, mas provou que é capaz de escrever e o demonstrou inclusive diante do Papa Bento XVI, no dia 2 de junho deste ano, quando teve um encontro com ele em Milão e entregou-lhe o livro escrito por sua mãe autografado, com uma dedicatória.

Fonte: http://www.acidigital.com/noticia.php?id=24581

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.