Angola: Profanada a Imagem de Nossa Senhora de Muxima

muximaO site Zenit.org informou nesta terça-feira (29/10/13) que, segundo a Rádio Ecclesia, pertencente à Igreja Angola, 6 pessoas não identificadas entraram no Santuário de Nossa Senhora de Muxima, vandalizaram e destruíram algumas imagens de Nossa Senhora veneradas no Santuário, concretizando assim “Uma ação perpetrada de maneira fria e covarde”, conforme relata Dom Joaquim Ferreira Lopes, Bispo de Viana. O prelado ainda desabafa: “Felizmente, a imagem principal de Nossa Senhora de Muxima sofreu danos limitados, mas outras imagens são irrecuperáveis porque foram barbaramente destruídas”. O grave ato de vandalismo foi cometido no dia do encerramento do Ano da Fé em Angola.

Ao receberem a notícia, centenas de fiéis se reuniram diante do santuário para protestar. Dom Lopes convidou todos a manter a calma, mas sublinhou que além de alguns danos materiais, as autoridades devem considerar “os danos menos visíveis, ou seja, os danos morais que afetam o coração das pessoas que provocam raiva na população, que se sente privada dos símbolos aos quais é muito devota”. As autoridades anunciaram uma investigação e o recurso a especialistas para consertar a imagem da Virgem.

Segundo notícias da imprensa, a polícia parou algumas pessoas pertencentes a confissão evangélica chamada “Igreja profética da Arca de Belém” e está avaliando a sua posição em relação ao ato de profanação.

A notícia ainda afirma que os bispos angolanos expressaram em várias ocasiões suas preocupações pelo aumento das seitas e pelo forte crescimento de imigrantes de religião muçulmana no país (veja Fides 18/11/2011). Uma preocupação manifestada no final de sua última Assembleia Plenária por Dom Manuel Imbamba Arcebispo de Saurimo e porta-voz da CEAST, que numa entrevista a Rádio Ecclesia afirmou que a Igreja Católica não pode impedir a entrada de algumas religiões no país, mas sublinhou que não se pode ignorar “as graves consequências” por causa da chegada de formas religiosas marcadas “pela intolerância, fundamentalismo, violência e perversão de sua própria cultura”. (Fonte: Agência Fides)

Fonte: http://www.zenit.org/pt/articles/angola-profanada-a-imagem-de-nossa-senhora-de-muxima

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.