Ângelus: Amor a Deus e ao próximo é resumo de toda a lei divina

20130317082008164rts1Neste domingo, dia 26, o Sumo Pontífice ao falar para milhares de fiéis na Praça São Pedro ressaltou no Ângelus o amor a Deus e ao próximo como sendo “o sinal visível com o qual os cristãos testemunham ao mundo o amor de Deus é o amor pelos irmãos”.

Veja na íntegra a notícia:

Papa no Angelus: “O amor a Deus e ao próximo são inseparáveis e complementares; duas faces da mesma medalha”

Cidade do Vaticano (RV) – Ao meio-dia deste domingo, 26, diante de 80 mil fiéis reunidos à sua espera na Praça São Pedro, o Bispo de Roma afirmou que toda a Lei divina se resume no amor a Deus e ao próximo: “O sinal visível com o qual os cristãos testemunham ao mundo o amor de Deus é o amor pelos irmãos”, apontou Francisco.

“O mandamento do amor a Deus e ao próximo não é o primeiro porque está no topo da lista dos mandamentos. Jesus não o coloca no alto, mas no centro, porque é o coração de onde tudo deve começar e retornar; é a referência”.

“Jesus não nos entregou fórmulas ou preceitos, não; ele nos confiou dois rostos, aliás, um só rosto, o de Deus que se reflete em muitos outros, pois no rosto de cada irmão, especialmente o menor, o mais frágil e indefeso, está presente a imagem de Deus”.

“Ao encontrarmos um destes irmãos, nós deveríamos nos perguntar se somos capazes de avistar nele o rosto de Deus. Somos capazes disso?”, perguntou o Pontífice aos peregrinos, romanos e turistas na Praça.

Respondendo, Francisco disse que “não se pode mais separar a vida religiosa do serviço aos irmãos, aos irmãos que encontramos concretamente; ser santos requer também cuidar das pessoas mais frágeis como o estrangeiro, o órfão, a viúva”. E completou: “o amor é a medida da fé e a fé é a alma do amor”.

Após a reflexão sobre o Evangelho de Mateus, o Papa ressaltou a ‘novidade’ da mensagem de Jesus: “Colocar juntos estes dois mandamentos, o amor a Deus e o amor ao próximo”, revelando que “eles são inseparáveis e complementares; são as duas faces da mesma medalha”, concluiu Francisco, citando um trecho da Encíclica ‘Deus é Amor’, de Bento XVI.

Francisco rezou a oração mariana do Angelus e concedeu a todos os presentes a sua bênção apostólica.
(CM)

Fonte:http://pt.radiovaticana.va/news/2014/10/26/papa_no_angelus:_o_amor_a_deus_e_ao_pr%C3%B3ximo_s%C3%A3o_insepar%C3%A1veis_e/bra-833113

Compartilhe!

    Sobre Prof. Felipe Aquino

    O Prof. Felipe Aquino é doutor em Engenharia Mecânica pela UNESP e mestre na mesma área pela UNIFEI. Foi diretor geral da FAENQUIL (atual EEL-USP) durante 20 anos e atualmente é Professor de História da Igreja do “Instituto de Teologia Bento XVI” da Diocese de Lorena e da Canção Nova. Cavaleiro da Ordem de São Gregório Magno, título concedido pelo Papa Bento XVI, em 06/02/2012. Foi casado durante 40 anos e é pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova.
    Adicionar a favoritos link permanente.